quinta-feira, 24 set 2020
Publicidade

Venezuela prende narcoparamilitar colombiano que aparece em foto com Juan Guaidó

O ministro das Comunicações da Venezuela, Jorge Rodríguez, anunciou nesta sexta-feira (1º) que Argenis Vaca, o ‘Vaquita’, foi capturado pela inteligência do governo. Vaquita atuava como tesoureiro do grupo paramilitar Los Rastrojos, ligado ao narcotráfico na Colômbia. Ele foi um dos narcotraficantes que apareceram em polêmica sequência de fotos ao lado do líder opositor Juan Guaidó, quando o parlamentar cruzou a fronteira para um show contra o presidente Nicolás Maduro.

“Graças ao profundo trabalho de inteligência de várias semanas, comunicamos a captura do narcoparamilitar Argenis Vaca (Vaquita). Responsável pelas finanças do grupo paramilitar Los Rastrojos, procurado na Colômbia e na Venezuela por crimes de homicídio, sequestro, tráfico de drogas”, publicou o ministro nas redes sociais.

Rodríguez ainda destacou a relação de Vaquita com Juan Guaidó, autoproclamado presidente da Venezuela. “Levou Juan Guaidó de Táchira, até o porto de Santander, onde seria entregue a escoltas de Ivan Duque. Em El Paraíso, Juan Guaidó tirou fotos com os cabeças dos Rastrojos com a promessa de que lhes permitiria total impunidade na nossa fronteira”, completou.

As fotos comentadas pelo ministro foram reveladas em setembro. Nas primeiras imagens, expostas pela Fundação Progresar, uma ONG de Direitos Humanos que atua na Colômbia, Guaidó aparece ao lado Albeiro Lobo Quintero, conhecido como Brother, e John Jairo Durán, conhecido como El Menor. Outros cliques foram revelados posteriormente, entre eles o sacado com Vaquita.

“A fotografia é a prova cabal de algo que estávamos trabalhando. Desde 22 de fevereiro recebemos informação de comunidades assentadas na área rural de Cúcuta e no norte de Santander que o o grupo Los Rastrojos impôs um golpe de queda”, disse Wilfredo Cañizares, diretor da fundação quando revelou as primeiras imagens.

Um outro integrante do grupo, Nandito (braço direito de El Menor), foi preso pela Força Nacional Bolivariana ainda em setembro e revelou que o grupo paramilitar atuou com o objetivo de levar Guaidó ilegalmente da Venezuela até a Colômbia. O parlamentar não poderia sair do país por determinação da Suprema Corte.

Lucas Rocha
Lucas Rocha
Jornalista da Sucursal do Rio de Janeiro da Fórum.