Vídeo: Evo Morales cruza a fronteira a pé e é recebido por multidão na Bolívia

Ao lado do presidente argentino Alberto Fernandez, Evo Morales cruzou a fronteira entre La Quialca e Villazón e voltou para a Bolívia um ano depois de deixar o país para preservar a própria vida diante do violento golpe de opositores

Um ano depois de deixar o país para preservar sua vida diante do violento golpe da oposição patrocinado pelos EUA com apoio do governo Jair Bolsonaro, Evo Morales foi recebido por uma multidão ao atravessar a pé a fronteira entre La Quialca, na Argentina, e Villazón, na Bolívia, ao lado do mandatário argentino Alberto Fernandez na manhã desta segunda-feira (9), um dia após Luiz “Lucho” Arce, do Movimiento Al Socialismo (MAS), tomar posse como presidente.

“Parte da minha vida fica na Argentina depois desses 11 meses”, disse Evo, que se refugiou no México antes de chegar à Argentina.

“O golpe foi um golpe ao nosso modelo econômico, a nossos recursos naturais. Novamente se repete a história, a luta permanente pela vida, pela solidariedade e pela democracia” afirmou o boliviano, que disse ainda que a posse de Arce representa a recuperação “dos nossos recursos naturais e a “soberania do Estado”.

Fernandez afirmou que o retorno de Morales à Bolívia é representativo “em um momento em que a unidade se fragmentou em interesses individuais” na América Latina.

“É muito lindo estar em La Quialca por esse motivo: garantir que Evo Morales regresse à sua pátria, de onde nunca deveria ter saído, nem ser maltratado como foi”, disse Fernandez.

Avatar de Plinio Teodoro

Plinio Teodoro

Jornalista, editor de Política da Fórum, especialista em comunicação e relações humanas.

Você pode estar junto nesta luta

Fórum é um dos meios de comunicação mais importantes da história da mídia alternativa brasileira e latino-americana. Fazemos jornalismo há 20 anos com compromisso social. Nascemos no Fórum Social Mundial de 2001. Somos parte da resistência contra o neoliberalismo. Você pode fazer parte desta história apoiando nosso jornalismo.

APOIAR