Fórum Educação
17 de dezembro de 2019, 19h27

Em vídeo antigo, Youtuber bolsonarista espancada critica vitimismo homofóbico

Youtuber lésbica e bolsonarista que foi atacada fisicamente ao lado da namorada, já havia dito que a violência homofóbica era vitimismo. Defensores de direitos humanos classificaram o ataque sofrido por ela como covarde

Foto: Reprodução

No último domingo, 15, a youtuber Karol Eller foi mais uma vítima de uma agressão homofóbica, ao lado de sua namorada, no Rio de Janeiro. A youtuber viu sua fama crescer ao aparecer publicamente ao lado de Jair Bolsonaro, durante as eleições de 2018, numa tentativa de mostrar que eram falsas as acusações de homofobia do então candidato.

Resgatando um antigo vídeo de Eller, o jornalista George Marques analisou o caso em sua conta no Twitter. No vídeo, a youtuber, filmando-se enquanto dirige, classifica de maneira veemente a violência homofóbica como vitimismo.

“Segundo Karol Eller, todo dia morre policial, negro, gay, então não dá p/ se falar em violência homofóbica. Ela diz que tem muito gay que faz “cagada ou apanha na rua porque anda em más companhias” Ela estava em má companhia quando foi brutalmente agredida no último domingo?”, escreveu Marques que, não obstante, fez questão de deixar claro que o que ocorreu com a youtuber foi um ato covarde.

“Esse caso de violência homofóbica repulsiva reforça a necessidade de trabalharmos empatia p/ com o próximo, e isso independe de que campo político vc esteja”, afirmou.

Reforçando essa posição de defesa dos direitos para todas e todos, parlamentares e pessoas situadas à esquerda no espectro político lamentaram publicamente o ataque sofrido por Eller.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum

#tags