Fórumcast, o podcast da Fórum
12 de agosto de 2017, 15h16

Antifascistas resistem, entram em confronto e impedem avanço de marcha neonazista nos EUA

Neonazistas, alguns deles armados, realizariam neste sábado (12) uma marcha pela “supremacia branca” em Charlottesville, nos Estados Unidos, mas enfrentaram a resistência de antifascistas. Grupos entraram em confronto e cidade declarou estado de emergência. Ao menos dois neonazistas foram detidos. Assista ao momento em que os dois grupos se encontram 

Por Redação 

A cidade universitária de Charlottesville, na Virgínia (EUA), declarou estado de emergência na tarde deste sábado (12) após um confronto entre grupos neonazistas e antifascistas. Estava marcada para hoje uma marcha de neonazistas que defendem a “supremacia branca” e que são contra negros, LGBTs e imigrantes.

As centenas de neonazistas, no entanto, se depararam com a resistência de grupos antifascistas, que fizeram um cordão humano para a marcha não avançar. Os dois grupos, então, entraram em confronto físico. Há relatos de neonazistas armados. Ao menos dois deles, de acordo com a prefeitura de Charlottesville, foram presos.

A cidade, inclusive, declarou estado de emergência e falou e “iminente guerra civil”. Centenas de policias estão nas ruas da cidade, neste momento, dispersando os manifestantes. De acordo com o perfil oficial do Twitter da cidade, as tropas da polícia estão, gradualmente, deslocando os manifestantes para lados diferentes para garantir a segurança. Ainda assim, deixou disponível o telefone da Defesa Civil para possíveis emergências. Há relatos de ao menos 2 pessoas feridas.

Na noite desta sexta-feira (11), o grupo neonazista já havia feito uma marcha como “esquenta” para a manifestação de hoje.

O repórter da BBC Brasil, Ricardo Senra, registrou o momento em que os neonazistas encontram os antifascistas.

Confira.

Foto: Reprodução/CNN


Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum