Após abertura, Portugal retoma restrições em Lisboa para conter coronavírus

Outros países europeus também recuaram a retomada das atividades em algumas regiões depois do surgimento de novos casos

Em meio a volta das atividades, Portugal retomou nesta segunda-feira (22) algumas restrições na região metropolita de Lisboa, que concentra a maioria dos novos casos de coronavírus no país.

O limite para reuniões de pessoas foi novamente reduzido para dez. Lojas, cafés e bares terão que fechar às 20h. No resto do país, continua valendo a regra mais leve, que permite reuniões de até 20 pessoas, e o funcionamento normal dos estabelecimentos.

Segundo o primeiro-ministro, António Costa (Partido Socialista), o objetivo é coibir festas e outras aglomerações que colocam em risco a saúde pública. Embora esteja em curva descendente e com a pandemia controlada nos parâmetros europeus, Lisboa e o vale do Tejo têm registrado um maior número de contágios nas últimas semanas, com a saída da quarentena.

Costa disse ainda que o governo tomará outras medidas pontuais em regiões específicas de maior incidência de coronavírus, como fortalecer a coordenação com as câmaras (equivalente a prefeitura no Brasil) e o Ministério da Saúde para que notificações sejam mais rápidas.

Nas últimas semanas, o surgimento de novos focos de coronavírus em países europeus tem levado os governos a reimplantar algumas das restrições que haviam sido retiradas.

A Alemanha retomou quarentenas e até lockdown em algumas regiões do país. A Bélgica fechou novamente algumas escolas. Já a Espanha acompanha dezenas de novos focos e não descarta reintroduzir o estado de emergência, mesmo que para área específicas.

Avatar de Ricardo Ribeiro

Ricardo Ribeiro

Correspondente da Fórum na Europa. Jornalista e pesquisador, é mestre em Jornalismo e Comunicação pela Universidade de Coimbra e doutorando em Política na Universidade de Edinburgh. Trabalhou na Folha de S.Paulo, Agora e UOL, entre 2008 e 2017, como repórter e editor.