Cartas do Pai: Fascistas AntiFascistas

Em sua coluna, Ivan Cosenza fala sobre o ato dos "antifascistas" do MBL

Rio de Janeiro, 14 de Setembro de 2021.

Pai,

Na época da campanha eleitoral surgiram vários bordões contra o fascismo.

Agora surgiu um novo movimento, que foi à rua nesse último dia 12.

São os Fascistas AntiFascistas.

Encabeçado pelo pessoal que iniciou o movimento do Golpe contra a Dilma, o grupo MBL que ensinou pro atual presidente como ganhar as eleições:

– Mentindo!

Inventaram que a Marielle tinha caso com o traficante Marcinho VP, entre outras coisas.

Publicidade

Eles iniciaram o movimento de Fake News que até hoje assola o país!

Mostraram pro candidato deles como se fazia isso.

Publicidade

E o aluno aprendeu direitinho, criando a famosa Fakeada.

A manifestação foi recheada de eleitores do Bolsonaro, fascistas como ele!

Reclamaram que a esquerda não participou do ato, e eu também não fui, pois minha mãe sempre me disse pra não me misturar com essa gentalha.

Argumentaram que a hora era de união, mas isso me fez lembrar de dois pensamentos famosos.

Tem um ditado alemão que diz que “se um nazista sentar um uma mesa com dez pessoas e ninguém se levantar, temos 11 nazistas”.

E um pensamento do Hemingway:

“- Quem estará na trincheira ao seu lado?

  – E isso importa?

  – Mais do que a própria guerra!”

Não se luta contra o fascismo ao lado de fascistas!

Um beijo do seu filho,

Ivan

*Este artigo não reflete, necessariamente, a opinião da Fórum

Avatar de Ivan Cosenza de Souza

Ivan Cosenza de Souza

Cronista, produtor cultural, curador da obra de Henfil, seu pai, e presidente do Instituto Henfil. Escreve as Cartas do Pai para a Revista Fórum.
Henfil veste Pela Esquerda. Camisa da Ursal à venda no link abaixo:

Você pode estar junto nesta luta

Fórum é um dos meios de comunicação mais importantes da história da mídia alternativa brasileira e latino-americana. Fazemos jornalismo há 20 anos com compromisso social. Nascemos no Fórum Social Mundial de 2001. Somos parte da resistência contra o neoliberalismo. Você pode fazer parte desta história apoiando nosso jornalismo.

APOIAR