Fórumcast, o podcast da Fórum
21 de setembro de 2013, 13h33

Condenados a descansar nos jardins de suas mansões

5 anos após quebrarem Wall Street, banqueiros continuam livres e ricos

5 anos após quebrarem Wall Street, banqueiros continuam livres e ricos

Por Janes Rocha, no blog Vintém da Revista Samuel 

Richard Fuld comandava o Lehman Brothers, o banco que foi o estopim da crise (Reprodução)

Eles “quebraram” os bancos que comandavam e detonaram a maior crise econômica desde o “crash” de 1929, causando o desemprego e a miséria de milhões de pessoas pelo planeta, especialmente na Europa e nos Estados Unidos. Mas os banqueiros responsáveis pela quebra daquelas instituições em 2007 e 2008 não sofreram qualquer punição e hoje flanam em seu patrimônio milionário construído às custas do desemprego mundial.

Você pensava que nos Estados Unidos a Justiça sempre funciona? Eu também. Engano nosso. Reportagem publicada no site The Center for Public Integrity (leia aqui) revela o que aconteceu com aqueles executivos (ir)responsáveis pela bancarrota mundial: nada! Ao contrário, estão nadando na grana, depois de terem causado um desemprego recorde em vários países. Richard Fuld (foto acima) que comandava o Lehman Brothers Holdings Inc., o banco que disparou a crise ao entrar em bancarrota exatamente há cinco anos (em 15 de setembro de 2008), está tranquilo. Veja a foto da mansão dele em Greenwich, no estado de Connecticut:

(Reprodução)

Fuld tem também um sítio em Sun Valley, no estado de Idaho e uma casa de cinco quartos na Flórida. Só não tem mais um apartamento em Manhattan, na Park Avenue, porque vendeu por US$ 25,87 milhões em 2009. Coitado…

Veja também:  Ernesto Araújo diz que governo Bolsonaro é vítima da "esquerda foro-de-são-paulina" na questão da Amazônia

Os outros banqueiros também reponsáveis pela crise – Jimmy Cayne (Bear Stearns), Stanley O’Neal (Merrill Lynch), Chuck Prince (Citigroup) and Ken Lewis (Bank of America) também continuam vivendo no luxo.


Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum