Seja #sóciofórum. Clique aqui e saiba como
06 de junho de 2007, 18h42

CTNBio libera milho transgênico

A Comissão Técnica Nacional de Biossegurança (CTNBio) liberou, na terça-feira, 16, o plantio e a comercialização de milho transgênico. A decisão é repudiada por movimentos sociais e organizações ambientalistas e depende de ratificação do Comitê Nacional de Biotecnologia.

A Comissão Técnica Nacional de Biossegurança (CTNBio) liberou, na terça-feira, 16, o plantio e a comercialização de milho transgênico. A decisão é repudiada por movimentos sociais e organizações ambientalistas e depende de ratificação do Comitê Nacional de Biotecnologia.

Por 17 votos a quatro, a Comissão Técnica Nacional de Biossegurança (CTNBio) aprovou a liberação comercial, da primeira variedade de milho transgênico. É o terceiro vegetal geneticamente modificado liberado para plantio e comercialização no Brasil. Segundo a CTNbio , o plantio do milho transgênico será acompanhado de um plano de monitoramento.

Em nota, a Via Campesina Brasil, organização internacional que desde 1993 é responsável pela mobilização e articulação mundial defendidas pelos camponeses, afirma que “a liberação comercial do milho transgênico é uma total irresponsabilidade com os agricultores, a agricultura e com a biodiversidade brasileira”.

A procuradora Maria Soares Cordioli, em entrevista à Fórum, considera que a reunião da CTNBio, desta quarta, não está adequada a Lei de Biossegurança, aprovada em 2005 e afirma que não teve acesso aos pareceres preparados por integrantes da comissão.

Segundo Cordioli, os integrantes da CTNBio desconsideraram os documentos apresentados durante a audiência pública de 22 de março, levando em consideração apenas o estudo apresentado pela transnacional Bayer. O pedido de anulação da votação deve ser encaminhada à Justiça.

A ratificação da liberação do plantio e comercialização do milho transgêncio depende ainda da Comissão Nacional de Biotecnologia, formada por representantes de 11 ministérios e chefiada pela ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff.

Trajetória Desde o ano passado a CTNBio tenta votar a liberação comercial do milho transgênico “Libertlink”, desenvolvido pela multinacional Bayer e resistente a herbicidas. Por determinação judicial a votação deveria ser submetida a uma audiência pública.

Na audiência realizada neste ano, um documento foi apresentado à CTNBio para discutir os impactos do milho transgênico. Com a votação colocada, novamente, em pauta, o motivo de novo adiamento foi polêmica em torno da participação de representantes da sociedade civil e movimentos sociais. No mês passado, a Justiça determinou que a reunião fosse aberta ao público. Walter Colli, presidente da CTNBio, adiou a votação para este mês.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum