Seja #sóciofórum. Clique aqui e saiba como
08 de junho de 2018, 12h00

Em sessão do TSE, Abin defende monitoramento de usuários da internet

A proposta gerou constrangimento em sessão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE)

Foto: Arquivo

A Agencia Brasileira de Inteligência defendeu o monitoramento de usuários sem a autorização de Justiça. A proposta provocou constrangimento em sessão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) onde foi apresentada nesta quinta-feira.

A Abin defende a medida como forma de combater as fake news, como são chamadas as notícias falsas que contaminam a rede.

A ideia foi apresentada em reunião do Conselho Consultivo sobre Internet e Eleições do TSE. A proposta encontrou oposição entre representantes do Exército, Safernet, Polícia Federal o princípio constitucional da liberdade do indivíduo e das garantias à liberdade individual previsto no Marco Civil da Internet e no Comitê Gestor da Internet no Brasil.

A Abin, por meio de nota, declarou que “qualquer tema, inclusive os ligados a questões eleitorais, subordina-se aos preceitos constitucionais, à Política Nacional de Inteligência (PNI) e à Estratégia Nacional de Inteligência (Enint)”.

O TSE informou que não se posiciona sobre temas estratégicos.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum