Emanuela Medrades: quem é a representante da Precisa Medicamentos, que assina o contrato da Covaxin?

Emanuela Medrades é uma das responsáveis pelas negociações no processo de importação da vacina indiana ouvida agora na CPI. Siga ao vivo

Emanuela Medrades, diretora técnica da Precisa Medicamentos, é a personagem de terça-feira, dia 13, na CPI da Pandemia da Covid-19. Ela foi a representante oficial da Bharat Biotech, fabricante da vacina indiana Covaxin, cuja negociação com a Precisa virou alvo da CPI por ter sido contratada pelo governo federal, mesmo com o preço mais caro entre as candidatas e sem qualquer aval da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), na época.

Ela pediu ao STF (Supremo Tribunal Federal) que garanta o direito de não comparecer à CPI. Seu pedido foi negado pelo Presidente do Supremo Luiz Fux, mas foi concedido o direito de permanecer em silêncio.

Depoimento dos Irmãos Miranda

Após o depoimento dos irmãos Miranda, o ministério da saúde suspendeu o contrato para a compra do imunizante por conta das denúncias de irregularidades levadas para a CPI por meio do deputado federal Luis Miranda, que disse também ter levado as informações até o presidente Jair Bolsonaro.

Por conta disso, a Precisa Medicamentos passou a ser apontada como a empresa responsável por realizar a ponte entre o governo federal e o laboratório que produz a vacina Covaxin na Índia e os senadores tentam esclarecer os detalhes da negociação e se houve algum crime de corrupção por parte do Ministério da Saúde.

A CPI também já autorizou a quebra dos sigilos telefônico e telemático da diretora.

O sócio da Precisa Medicamentos, Francisco Maximiano, também foi convocado à CPI, e teve o direito de permanecer em silêncio concedido pela ministra do STF Rosa Weber. Após a decisão, os senadores optaram pela não convocação de Maximiano.

Avatar de Eduardo Lima

Eduardo Lima

Jornalista, Redator Publicitário, Editor Web e SEO

Você pode estar junto nesta luta

Fórum é um dos meios de comunicação mais importantes da história da mídia alternativa brasileira e latino-americana. Fazemos jornalismo há 20 anos com compromisso social. Nascemos no Fórum Social Mundial de 2001. Somos parte da resistência contra o neoliberalismo. Você pode fazer parte desta história apoiando nosso jornalismo.

APOIAR