#Fórumcast, o podcast da Fórum
10 de fevereiro de 2017, 21h15

Equipe de Fernando Holiday invade ilegalmente gabinete do PT e agride petistas

Assessores de Holiday (DEM) invadiram o gabinete da liderança petista, que estava em reunião com o senador Lindbergh Farias (PT-RJ), com câmeras de celular ligadas e fazendo provocações, a fim de criar um factóide contra o senador. A vereadora Juliana Cardoso (PT) denunciou a armação no plenário e passou a ser acusada de agressão por Holiday, que começou uma campanha difamatória contra a parlamentar nas redes sociais

Por Redação

O vereador de São Paulo Fernando Holiday (DEM), líder do grupo de direita MBL, criou uma armação nesta sexta-feira (10) cujo alvo era o senador Lindbergh Farias (PT-RJ), mas acabou se tornando a vereadora Juliana Cardoso (PT).

Ao menos dois assessores de Holiday, com câmeras de celular ligadas, invadiram uma reunião do gabinete da liderança petista com o senador carioca fazendo provocações, a fim de criar um factóide para desmoralizar Lindbergh. Um grupo de petistas teve que escoltar o senador até o seu carro. Horas depois, a equipe de Holiday ligou para a Guarda Civil Metropolitana (GCM) da Câmara informando sobre uma “ocorrência no 6º andar”. Mais uma tentativa de criar um factóide pois, mais uma vez, os assessores do vereador recém-eleito invadiram uma reunião fechada do gabinete de Juliana Cardoso, com câmeras ligadas, e fazendo provocações.

A vereadora, então, decidiu denunciar o caso no plenário, mas foi interrompida pelo presidente da Casa, Milton Leite (DEM), padrinho político de Holiday. Indignada, Juliana foi até o vereador o acusando de agressão, ao que parlamentares aliados a Holiday começaram a segurá-la, como se quisesse agredi-lo. Mais um factóide.

“Estamos extremamente indignados com esta situação que foi obviamente premeditada. Lembramos que este episódio não atinge só o meu mandato, trata-se de uma atitude premeditada de coação, constrangimento e agressão física. Trata-se de desrespeito claro a democracia e ao regimento da casa. Se não há resposta das instituições para uma ação clara de profunda agressão, não teremos qualquer liberdade para fazer oposição, o que é inerente ao regime democrático. Ou não estamos mais em um regime democrático?”, escreveu, em nota, a vereadora.

O MBL de Holiday não perdeu tempo e já começou uma campanha difamatória contra Juliana Cardoso. Nas redes sociais, o vereador postou um vídeo em que supostamente estaria sendo agredido por Juliana. Mas o vídeo não mostra qualquer agressão e o vereador não menciona que seus assessores invadiram as reuniões petistas. Um meme produzido pelo MBL, inclusive, já circula pelas redes sociais. É uma foto de Juliana Cardoso com a legenda “descontrolada”.

Confira, abaixo, a nota da vereadora esclarecendo o caso.

NOTA DE ESCLARECIMENTO

Hoje, dia 10 de fevereiro, enquanto fazíamos uma reunião com o Senador Lindbergh Farias, assessores do Vereador Fernando Holiday invadiram a sala, munidos de celulares e câmeras para gravar uma reunião particular do meu mandato com a presença do Senador, fazendo provocações chulas e agredindo verbalmente nossos assessores. 
A intenção final era escrachar o Senador Lindbergh, por isso o levamos em grupo até o seu carro para que ele pudesse sair em segurança. 
Não satisfeitos, os mesmos assessores de Holiday, horas depois, ligaram para a GCM da Câmara Municipal chamando-os para o 6º andar avisando que lá haveria uma “ocorrência”. Então, eles foram até o 6º andar e invadiram por três vezes uma reunião particular do mandato que estava ocorrendo na sala da Liderança do PT a portas fechadas, eles abriram a porta e começaram a gravar a reunião e agredir verbalmente nossos assessores com provocações.
Estes dois assessores, Arthur Moledo do Val e Weslley Viera já invadiram no ano passado o gabinete do ex-vereador Jamil Murad em ação muito similar, segundo a GCM da Câmara Municipal. 
Estamos extremamente indignados com esta situação que foi obviamente premeditada. Lembramos que este episódio não atinge só o meu mandato, trata-se de uma atitude premeditada de coação, constrangimento e agressão física. Trata-se de desrespeito claro a democracia e ao regimento da casa. Se não há resposta das instituições para uma ação clara de profunda agressão, não teremos qualquer liberdade para fazer oposição, o que é inerente ao regime democrático. Ou não estamos mais em um regime democrático?
Pedimos a todos que puderem que nos apoiem neste momento de ataque ao nosso direito de ocupar e resistir neste espaço que nos foi dado por 34.949 mil eleitores.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum