Escalada da violência é resultado da cabeça miliciânica do Bolsonaro, diz Lula, na Fórum

Ex-presidente avalia que postura do presidente impulsiona casos de racismo, preconceito e brutalidade policial no Brasil

Em entrevista ao Fórum Onze e Meia desta sexta-feira (4), em edição especial do aniversário de 19 anos da Fórum, o ex-presidente Lula avaliou a escalada de violência e os casos de racismo e brutalidade policial no Brasil. Na avaliação do ex-presidente, o ódio na sociedade é fomentado pelo presidente Jair Bolsonaro.

“Se tem uma coisa que o Bolsonaro não mentiu para a sociedade é que ele queria uma polícia mais violenta, que ele queria uma polícia que matasse, que o povo comprasse arma. O que está acontecendo é resultado da cabeça miliciânica do Bolsonaro”, disse Lula.

“Essa gente que andava escondida, que não tinha coragem de falar, começou a criar coragem, a partir da campanha do Bolsonaro, porque ele incitava isso todo santo dia. Você não via o Bolsonaro fazer um outro gesto a não ser atirando. Eles deram força para a polícia: matem!”, completou.

Para o ex-presidente, será preciso medidas mais profundas para resolver o problema, além de novas políticas públicas, desmilitarização e democratizar a polícia. “Precisamos mudar a cabeça das pessoas”, afirmou Lula, apontando também para a responsabildade da mídia.

“A sociedade está tomada pelo ódio, está tomada pela agressividade, está tomada pelo preconceito, tomada pelo racismo. E isso vem sendo alimentado pelos veículos de comunicação a muito tempo”, disse.

Assista a entrevista completa:

Avatar de Ricardo Ribeiro

Ricardo Ribeiro

Correspondente da Fórum na Europa. Jornalista e pesquisador, é mestre em Jornalismo e Comunicação pela Universidade de Coimbra e doutorando em Política na Universidade de Edinburgh. Trabalhou na Folha de S.Paulo, Agora e UOL, entre 2008 e 2017, como repórter e editor.

Você pode estar junto nesta luta

Fórum é um dos meios de comunicação mais importantes da história da mídia alternativa brasileira e latino-americana. Fazemos jornalismo há 20 anos com compromisso social. Nascemos no Fórum Social Mundial de 2001. Somos parte da resistência contra o neoliberalismo. Você pode fazer parte desta história apoiando nosso jornalismo.

APOIAR