No rastro do crime ambiental nas praias do Nordeste
20 de junho de 2016, 15h51

Estudantes ocupam USP por cotas, creches e mais professores

Depois da atuação violenta da tropa de choque contra estudantes no Conjunto Residencial da USP (CRUSP), estudantes e integrantes do movimento negro decidiram encerrar a ocupação. Prédio da Letras segue ocupado.

Depois da atuação violenta da Policia Militar contra estudantes no Conjunto Residencial da USP (CRUSP), estudantes e integrantes do movimento negro decidiram encerrar a ocupação. Prédio da Letras segue ocupado

Por Redação

Na última quinta-feira (16), a Policia Militar impediu que estudantes e militantes do movimento negro ocupassem os blocos K e L do Conjunto Residencial da USP (CRUSP). Durante a ação, a PM utilizou bombas de efeito moral e gás. Os estudantes afirmaram que as bombas vieram depois da desocupação e de forma violenta.

Alunos afirmaram ainda que, ao fugirem para o CRUSP, foram seguidos e bombas foram lançadas pelas janelas de apartamentos e nos corredores dos blocos D, E, F e G. A PM afirma que estudantes danificaram um carro da Guarda universitária e atacaram policiais com pedras.

A decisão de parte dos estudantes em ocupar os blocos K e L se deu após a ocupação frustrada de parte do prédio da reitoria, onde ocorria, durante a tarde daquela quinta-feira (16), reunião do Conselho da graduação.

FFLCH e a ocupação da Letras

Desde o dia 11 deste mês estudantes de Letras da Universidade de São Paulo ocupam o prédio do curso pedindo a contratação de mais professores pois as aulas estavam superlotadas devido a poucas salas disponíveis e poucos professores para ministrarem suas matérias.

A ocupação, majoritariamente composta por mulheres, pede contratação efetiva de professores e alertam que professores temporários não se dedicariam às pesquisas, um dos principais pontos de destaque da Universidade.

As estudantes apontam ainda que não têm data para desocupar o prédio e que só o farão quando a reitoria se comprometer a contratar mais professores. Entre as pautas do movimento está a expulsão da Polícia Militar do campus, bem como a permissão para festas na universidade e a transparência das contas da USP.

Foto: divulgação Ocupa Letras USP


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum