Fórumcast #20
12 de janeiro de 2014, 09h30

Femen decreta fim de filial brasileira: “Não nos representa”

Movimento feminista alegou problemas com organizadora brasileira, Sara Winter

 Movimento feminista alegou problemas com organizadora brasileira, Sara Winter

Por Opera Mundi

A filial brasileira da organização feminista Femen não existe mais. A informação foi dada por uma das fundadoras do movimento original, a ucraniana Alexandra Shevchenko, em entrevista ao jornal Zero Hora. Segundo ela, a dissolução da organização no Brasil se deve aos problemas que tiveram com a sua organizadora no país, a paulista Sara Winter, que confirmou a notícia.

“Gostaria de dizer algo que imagino seja novo para vocês. Não temos mais Femen Brazil. A pessoa que nos representava, Sara Winter, e que tem sua própria conta no Facebook, o Femen Brazil, não faz parte do nosso grupo. Tivemos muitos problemas com ela. Ela não está pronta para ser líder. É uma pena, mas essa decisão faz parte do nosso crescimento como movimento honesto. O Femen Brazil não nos representa”, disse Shevchenko ao jornal.

Sara Winter é detida durante manifestação em Brasília, quando fez cartaz com crítica à presidente Dilma Rousseff (Reprodução/Facebook)

A ucraniana não deu mais detalhes sobre a decisão, mas prometeu que o movimento será reconstruído no país.

Veja também:  Alexandre Frota chama Bolsonaro de idiota ingrato: "Eu, como ator pornô, dei mais certo do que ele no Exército""

Por sua vez, Sarah confirmou atritos com a matriz ucraniana. “As ucranianas são muito autoritárias. Em vários aspectos discordamos da postura delas, como no caso do comportamento discriminatório que elas tem com relação às mulheres islâmicas. Somos a favor da pluralidade religiosa”, afirmou.

Ela afirma que não recebeu a ajuda de custo prometida para poder se dedicar somente ao movimento de maneira regular. No entanto, ela afirma que, mesmo sem o nome, pretende continuar organizando protestos.

Também afirmou ao Zero Hora que a organização lhe exigia ações “absurdas”: “Elas queriam que eu contratasse um helicóptero para desenhar um símbolo do Femen no Cristo Redentor. Como iria fazer uma coisa dessas? Queriam que eu encontrasse uma cruz de madeira no Rio ou em São Paulo e serrasse?”.

Histórico

O Femen é um coletivo de ativistas feministas que nasceu na Ucrânia em 2008 e ganhou ramificações em diversos países, que chama a atenção da mídia tradicional nos protestos em que participa pelo “ativismo de topless”.

Veja também:  Câmara aprova texto-base de projeto sobre abuso de autoridade

No entanto, a atuação de Sara, que chegou a ser presa diversas vezes durante protestos realizados no país, sempre foi vista como controversa e criticada por diversos grupos feministas.

Em 2011, a então vice-presidente do grupo, Bruna Themis, decidiu sair em razão de discordâncias pela forma com que Sara organizava o movimento, como por exemplo , rejeitar integrantes acima do peso (o que Sara nega). Seu passado ligado a grupos de skinheads e sua homenagem à ex-premiê britânica Margaret Thatcher, que morreu no mês passado. Em resposta ao blog BiDê Brasil, a filial britânica do Femen respondeu dizendo que Thatcher não é um símbolo feminista.


Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum