Seja #sóciofórum. Clique aqui e saiba como
08 de fevereiro de 2012, 19h05

Fórum Mundial de Educação debate crise financeira e ambiental

Fotos: Brunna Rosa

Com início nesta segunda-feira, 26, o Fórum Mundial da Educação (FME) reuniu, segundo dados da organização, cerca de nove mil pessoas, entre educadores, chefes de Estado e representantes de movimentos sociais. 

A atividade mais concorrida foi a conferência "Educação, transgressão e construção da cidadania planetária", que contou com a participação do teólogo Leonardo Boff, da ex-ministra de meio ambiente, a senadora Marina Silva (PT) e Moacir Gadotti, direto do Instituto Paulo Freire. "No Pará, está reacendendo a esperança. A esperança está sempre lá e basta que alguns cheguem com propostas democráticas", afirmava Gadotti na primeira conferência do evento.
Moacir Gadotti comentou o tema do evento e o uso das idéias de transgressão e cidadania planetária. "O objetivo da transgressão é simples: outro mundo possível". Ele definiu a cidadania planetária como uma utopia, uma reivindicação planetária, uma nova globalização. "Somos um povo só. Tudo que fizermos de errado a ela (terra) recairá sobre nós. Não podemos nos resignar à devastação. Quando se queima uma floresta aqui, está queimando uma parte do planeta".
Já a senadora Marina Silva fez um apelo a humanidade ao pedir uma "uma transgressão positiva" para modificar a educação. "Cada um de nós tem que assumir essa responsabilidade e como educador também. A educação que nós precisamos para um novo processo civilizatório não é baseada na repetição". A ex-ministra emocionou a platéia ao contar que aprendeu a ler aos 16 anos, num curso do antigo Mobral (Movimento Brasileiro de Alfabetização), e classificou esse momento como mágico. "A educação que precisamos para esse novo processo civilizatório não pode estar baseada na estagnação; a educação tem que ser criativa", avaliou.
O teólogo Leonardo Boff lembrou da atual crise financeira e relembrou que o mundo, a tempos, vem sofrendo de um profundo desequilibrou. "Ou fazemos coalizão de forças, ou podemos ir ao encontro do pior, porque a terra poderá continuar sem nós. Como criar condições para que o planeta continue vivo?", questionou. Boff. O teólogo também definiu cinco princípios fundamentais e quatro virtudes relevantes para a sociedade contemporânea: sustentabilidade, por uma vida humanizada; cuidado, uma ciência que comporte o cuidado, o qual previne estragos do mundo; respeito, destacando que 83% da terra está sendo devastado e destruído pelos seres humanos; responsabilidade universal, que todos devem ter ciência das conseqüências das próprias ações; e cooperação e solidariedade.

Já nesta terça-feira, 27,o FME teve duas atividades em destaque. A conferência ‘Educação, Diálogo e Utopia: Identidades e Interculturalidade e o painel sobre a Conferência Internacional da Unesco em Educação de Adultos (Confintea), que acontece em Belém, em maio próximo.

Carimbó
Durante a preparação dos educadores para se dirigirem a marcha de abertura do FSM, um grupo de Carimbó empolgou o público ao apresentar a música regional paraese.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum

#tags