Furou mas não aplicou: servidora “finge” dar vacina a idosa em Maceió

Familiares da idosa só perceberam que o líquido do imunizante não foi aplicado após verem o vídeo do momento feito por uma cuidadora; servidora que fez a aplicação "fake" foi afastada

Nesta quinta-feira (28), iniciou-se em Maceió (AL) a vacinação de idosos com mais de 85 anos com a vacina da AstraZeneca/Oxford contra a Covid. A inauguração desta etapa da imunização na capital alagoana foi marcada, no entanto, por uma “vacinação fake”.

Isso porque uma servidora “fingiu” aplicar a vacina em uma idosa de 97 anos. A funcionária do posto de vacinação apenas furou o braço da mulher com a agulha mas não injetou o líquido.

Familiares da idosa só perceberam que ela não foi vacinada quando viram o vídeo gravado por uma cuidadora do momento da aplicação.

A neta da mulher, então, foi tirar satisfações com a supervisora do posto de vacinação, que pediu desculpas, e informou que aquele era um caso isolado e, então, fez ela mesma a aplicação da vacina na idosa, desta vez de maneira correta.

Em nota, a prefeitura de Maceió informou que a servidora da vacinação fake foi afastada e que recebeu a notícia com “indignação”. A gestão municipal informou ainda que abriu um processo administrativo para apurar o caso e que vai reforçar a fiscalização da aplicação de vacinas.

“A prefeitura vai ampliar a fiscalização e vai mudar o protocolo de vacinação. O profissional de saúde terá que mostrar a seringa cheia antes da aplicação e vazia após o procedimento. Juntos, vamos vencer a Covid-19”, diz um trecho da nota.

O Ministério Público de Alagoas também vai apurar o caso.

Assista ao vídeo do momento da “aplicação” obtido pelo portal Metrópoles.

Publicidade

Publicidade
Avatar de Ivan Longo

Ivan Longo

Jornalista, editor de Política, desde 2014 na revista Fórum. Formado pela Faculdade Cásper Líbero (SP). Twitter @ivanlongo_

Você pode estar junto nesta luta

Fórum é um dos meios de comunicação mais importantes da história da mídia alternativa brasileira e latino-americana. Fazemos jornalismo há 20 anos com compromisso social. Nascemos no Fórum Social Mundial de 2001. Somos parte da resistência contra o neoliberalismo. Você pode fazer parte desta história apoiando nosso jornalismo.

APOIAR