Governo Bolsonaro pagou R$ 193 mi antecipados por máscaras, mas não comprova recebimento

Também não foram apresentados comprovantes da compra de mais de 4 mil respiradores, estes sob responsabilidade da VTCLog, empresa investigada pela CPI da Covid

O Ministério da Saúde pagou R$ 193,4 milhões antecipados a uma empresa intermediária para fornecer máscaras fabricadas na China no auge da pandemia, porém, até este momento o governo não conseguiu comprovar o recebimento das mesmas.

O pagamento e a falta de comprovação foram apontados por um relatório de auditoria da Controladoria-Geral da União (CGU). O relatório foi concluído no dia 4 de agosto e inserido no sistema de consulta públicas de auditorias em 22 de setembro deste ano.

Segundo informações da Folha, trata-se do mesmo relatório que revelou ausência de comprovação de entrega pelo Ministério da Saúde de 4.186 respiradores a estados e municípios. Tais equipamentos custaram R$ 273,3 milhões ao governo Jair Bolsonaro.

No caso dos respiradores, era de responsabilidade da VTCLog, empresa investigada pela CPI da Covid, apresentar os comprovantes. Em sua defesa, a empresa afirma ter entregue mais de 18 mil respiradores com comprovantes.

Por sua vez, as máscaras foram compradas pelo governo federal em abril de 2020, início da primeira onda da pandemia no Brasil.

O contrato teve o valor total de R$ 691,7 milhões e foi assinado com a Global Base Development HK Limited, situada em Hong Kong, e com a 356 Distribuidora, Importadora e Exportadora, empresa brasileira que fez a representação a Global Base.

Ao todo, a compra envolveu 200 milhões de unidade de máscaras cirúrgicas e 40 milhões de máscaras KN95. Ambos os lotes custaram R$ 345,85 milhões.

O Ministério da Saúde e o governo federal não deram explicações sobre a falta de comprovantes apontados pelo relatório da CGU.

Com informações da Folha de S. Paulo

Publicidade

Notícias relacionadas

Avatar de Marcelo Hailer

Marcelo Hailer

Jornalista (USJ), mestre em Comunicação e Semiótica (PUC-SP) e doutor em Ciências Socais (PUC-SP). Professor convidado do Cogeae/PUC e pesquisador do Núcleo Inanna de Pesquisas sobre Sexualidades, Feminismos, Gêneros e Diferenças (NIP-PUC-SP). É autor do livro “A construção da heternormatividade em personagens gays na televenovela” (Novas Edições Acadêmicas) e um dos autores de “O rosa, o azul e as mil cores do arco-íris: Gêneros, corpos e sexualidades na formação docente” (AnnaBlume).

Você pode estar junto nesta luta

Fórum é um dos meios de comunicação mais importantes da história da mídia alternativa brasileira e latino-americana. Fazemos jornalismo há 20 anos com compromisso social. Nascemos no Fórum Social Mundial de 2001. Somos parte da resistência contra o neoliberalismo. Você pode fazer parte desta história apoiando nosso jornalismo.

APOIAR