Instituto D’Or de Pesquisa inicia estudos sobre cannabis medicinal

A pesquisa é uma parceria com a Entourage Phytolab, startup especializada em medicamentos à base de cannabis, e visa a aprofundar o entendimento sobre a ação dos canabinoides nas células neurais

O Instituto D’Or de Pesquisa e Ensino (IDOR) e a Entourage Phytolab, startup especializada no desenvolvimento de medicamentos à base de cannabis no Brasil, firmaram parceria em estudo sobre as diferentes ações dos compostos canabinoides nas células nervosas humanas.

O objetivo da parceria é realizar estudos que permitam desenvolver, no futuro, diferentes alternativas de tratamento para Alzheimer, epilepsia, Parkinson e dores de origem neuropáticas.

Segundo comunicado das duas organizações, a comunidade científica tem observado grande potencial na cannabis em doenças graves que atacam as células neurais.

Antes da parceria com a Entourage Phytolab, o IDOR, sob a coordenação de Steven Rehen (UFRJ), já trabalhava no desenvolvimento de medicamento a base de cannabis.

Um desses estudos envolve, a partir do método de testagem não-invasivo, o efeito dos canabinoides em células neurais de pacientes com síndrome de Dravet, que é uma encefalopatia progressiva associada às convulsões de difícil controle e que pode levar à morte súbita.

A síndrome de Dravet tem se mostrado resistente aos tratamentos convencionais e, muitas vezes, leva os portadores ao óbito, principalmente quando crianças. Todavia, os primeiros resultados da pesquisa com os canabinoides têm revelado resultados promissores.

Por fim, apesar de parte dos médicos terem conhecimento da eficácia dos canabinoides em pacientes com Alzheimer, por exemplo, o entendimento da ação das substâncias derivadas da cannabis ainda é vago.

A parceria entre o Instituto D’or e o Entourage Phytolab, a partir de pesquisas a serem iniciadas em 2021, tem por objetivo entender a ação dos diferentes compostos canabinoides no sistema nervoso.

O método de testagem não-invasivo

O método de testagem não-invasivo se baseia em recolher, a partir da urina de pacientes, células epiteliais que, posteriormente, serão induzidas a se tornar células-tronco pluripotente. A partir deste ponto elas podem ser transformadas em células de qualquer tecido humano.

Para os estudos que envolvem a neurologia, elas são manipuladas até formarem tecidos ou organoides cerebrais, pequenas estruturas análogas ao cérebro humano no início de seu desenvolvimento.

Essas estruturas possuem a mesma genética de seus pacientes doadores, o que permite observar em laboratório as interações positivas ou negativas dessas células com variadas substâncias, entre elas, as oriundas da cannabis.

Avatar de Marcelo Hailer

Marcelo Hailer

Jornalista (USJ), mestre em Comunicação e Semiótica (PUC-SP) e doutor em Ciências Socais (PUC-SP). Professor convidado do Cogeae/PUC e pesquisador do Núcleo Inanna de Pesquisas sobre Sexualidades, Feminismos, Gêneros e Diferenças (NIP-PUC-SP). É autor do livro “A construção da heternormatividade em personagens gays na televenovela” (Novas Edições Acadêmicas) e um dos autores de “O rosa, o azul e as mil cores do arco-íris: Gêneros, corpos e sexualidades na formação docente” (AnnaBlume).

Em 2021, escolha a Fórum.

Todos os dias Fórum publica de 80 a 100 matérias desde às 6h da manhã até à meia-noite. São 18h de textos inéditos feitos pela equipe de 10 jornalistas da redação e também por mais de três dezenas de colaboradores eventuais.

E ainda temos 3 programas diários no YouTube. O Fórum Café, com Cris Coghi e Plínio Teodoro, o Fórum Onze e Meia, com Dri Delorenzo e este editor, e o Jornal da Fórum, com Cynara Menezes. Além de vários outros programas semanais, como o Fórum Sindical, apresentado pela Maria Frô.

Tudo envolve custos. E é uma luta constante manter este projeto com a seriedade e a qualidade que nos propomos.

Por isso, neste momento que você está renovando suas escolhas e está pensando em qual site apoiar neste ano, que tal escolher a Fórum?

Se fizer isso, além de garantir tranquilidade para o nosso trabalho, você terá descontos de no mínimo 50% nos cursos que já temos em nossa plataforma do Fórum Educação.

É fácil. Clique em apoiar e escolha a melhor forma de escolher a Fórum em 2021.

Renato Rovai
Editor da Revista Fórum

APOIAR