Ouça o Fórumcast, o podcast da Fórum
06 de abril de 2017, 15h39

Já são três que estão na mira de Moro por criticar a Lava Jato; ato em solidariedade é marcado no Rio

O blogueiro Eduardo Guimarães, o serventuário Roberto Pociano e o sindicalista Emanuel Cancella estão sob a mira do juiz de Curitiba simplesmente por fazerem críticas a sua condução da operação Lava Jato. Todos estão sendo investigados ou processados por suposto “crime” de opinião

Por Redação

Roberto Pociano é serventuário da Justiça Federal e diretor da Central Única dos Trabalhadores (CUT) do Rio de Janeiro. Eduardo Guimarães é representante comercial e blogueiro, responsável pelo Blog da Cidadania. Emanuel Cancella é petroleiro. Os três, apesar de autarem em áreas distintas, carregam algo em comum: todos estão sendo processados ou investigados a mando do juiz Sérgio Moro por supostos crimes de calúnia ou ameaça.

Pociano, na verdade, apenas postou críticas em suas redes sociais com relação à condução do juiz de Curitiba frente a operação Lava Jato. Ele foi intimado a depor na sede da Polícia Federal no Rio de Janeiro (RJ), na próxima terça-feira (11), por “ameaça” e “incitação ao crime”.

Eduardo Guimarães, por sua vez, publicou em 2015 um texto em que faz críticas ao juiz e afirma que as ações do juiz vão custar a vida dos brasileiros. Moro entendeu como uma ameaça e o blogueiro foi intimado a depor, na semana passada, na mira de um inquérito que investiga também uma “ameaça”.

Já o petroleiro Emanuel Cancella publicou, recentemente, o livro ‘A Outra Face de Sergio’, em que critica os efeitos da Lava Jato na Petrobras. Ele também está sendo processado pelo juiz.

Ou seja: é quase certo que aquele que se aventurar a criticar o modus operandi da Lava Jato ou do juiz terá problemas na Justiça. Esse tipo de situação, para sindicalistas, lembra muito a forma como o Estado e o judiciário se portavam na época do regime militar e, por isso, marcaram um ato de solidariedade aos três novos perseguidos pelo juiz Sérgio Moro.

O ‘Ato contra o Estado de Exceção e contra o “crime” de Pensar’ será realizado a partir das 14h da próxima terça-feira (11), data do depoimento de Roberto Pociano, em frente a sede da Superintendência da Polícia Federal no Rio de Janeiro, no Boulervard Olímpico (Praça Mauá), Centro.

 

 


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum