Notícias

Para explicar desigualdade, ministro de Bolsonaro diz que flanelinha ganha R$ 4 mil no Leblon

Apesar da informalidade ter atingido o maior número dos últimos anos, Rogério Marinho argumentou que o crescimento do trabalho sem carteira assinada é um problema que "sempre existiu" no Brasil

Compartilhar

Para explicar a desigualdade no Brasil, o ministro do Desenvolvimento Regional do governo Bolsonaro, Rogério Marinho, afirmou que um flanelinha no Leblon pode ganhar até R$ 4 mil por mês, enquanto alguém que trabalha tangendo animais no interior do Rio Grande do Norte apenas R$ 200.

“Um flanelinha no Leblon ganha R$ 3 mil, R$ 4 mil por mês. O flanelinha. Mas alguém em Jucurutu, no interior do meu Estado, Rio Grande do Norte, tangendo animais, ganha R$ 200. É uma realidade completamente diferente, as pessoas tem que entender isso para poder compreender o que é nosso País”, disse Marinho. “A desigualdade se consolidou como um fosso que separa uma parte expressiva do Brasil”.

A fala aconteceu nesta terça-feira (30) em um debate sobre o combate à informalidade no mercado de trabalho durante o 93º Encontro Nacional da Indústria da Construção (ENIC).

Apesar da informalidade ter atingido o maior número dos últimos anos, chegando a 40,6% entre junho e setembro segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Marinho argumentou que o crescimento do trabalho sem carteira assinada é um problema que “sempre existiu” no Brasil.

“Brasil sempre teve problema estrutural na geração de seus empregos, sempre tivemos pelo menos metade da nossa mão de obra na informalidade, isso não é nenhuma novidade”, disse o ministro.

Notícias relacionadas

Governo propõe solução precária ao trabalhador

No mesmo painel, o ministro do Trabalho e Previdência, Onyx Lorenzoni, afirmou que o governo trabalha para reduzir o nível de informalidade no Brasil. Conforme ele explicou, a solução do governo será um sistema de “contratação simplificada” – ou seja, uma precarização dos direitos trabalhistas.

“Vai estar disponível para as prefeituras brasileiras logo na virada do ano, que é um sistema de contratação simplificada. Um jovem ou pessoa de mais de 50 anos vai para uma prefeitura, trabalha um turno, recebe o equivalente, e ela tem a obrigatoriedade da qualificação”, disse o ministro, lembrando que tal medida já esteve prevista durante as discussões da MP 1045, da minirreforma trabalhista, que foi rejeitada pelo Senado.

* Com informações do Estadão

Este post foi modificado pela última vez em 1 dez 2021 - 07:47 07:47

Carolina Fortes

Repórter colaborativa no site Emerge Mag e antiga editora-assistente no site da Jovem Pan. Ex-repórter no site Elástica. Formada em jornalismo e faz a segunda graduação em Letras na Universidade de São Paulo (USP). Acredita no jornalismo como forma de impacto social e defende maior inclusão e representatividade.

Por
Carolina Fortes

Última hora

  • Brasil

Justiça determina que Sara Giromini pague R$ 15 mil de indenização a antropóloga

Ex-bolsonarista tem duas semanas para acertar as contas com a acadêmica Débora Diniz, a quem…

23 jan 2022 - 22:54
  • Brasil

Entusiasta da violência policial, Eduardo Bolsonaro se indigna com abordagem a “atiradores”

Deputado de extrema direita é defensor incondicional das policiais e de ações violentas por parte…

23 jan 2022 - 22:27
  • Brasil

VÍDEO: PM bate no rosto de mulher em Porto Seguro (BA)

Policial agrediu jovem em público, mesmo sendo filmado, no sul da Bahia. Imagens geraram indignação…

23 jan 2022 - 21:37
  • Política

Recorde histórico: Bolsonaro repassou R$ 25,1 bilhões a parlamentares do Centrão em 2021

Para "governar", presidente extremista empenhou maior volume do Orçamento de todos os tempos para redutos…

23 jan 2022 - 20:48
  • Debates

Lula avança – Por Aloizio Mercadante

Conforme Lula consolida sua vitória e amplia a vantagem em todas as pesquisas, há um…

23 jan 2022 - 19:30
  • Cultura

25ª Mostra de Cinema de Tiradentes: Chico Diaz em berço esplêndido de criação – Por Filippo Pitanga

Repleta de filmes inéditos e exclusivos, de lançamento mundial, a ditar tendências e diálogos de…

23 jan 2022 - 19:16