Fórumcast, o podcast da Fórum
13 de junho de 2015, 11h15

MPB perde Fernando Brant, do Clube da Esquina

Entre os mais importantes da MPB, compositor de 68 anos, parceiro de Milton Nascimento em mais de 200 canções, não resistiu às complicações de um transplante de fígado. Inúmeras personalidades manifestaram pesar pela morte do jornalista, autor de “Travessia”, célebre composição que em 1967 ficou em segundo lugar no II Festival Nacional da Canção; relembre alguns de seus clássicos.

Entre os mais importantes da MPB, compositor de 68 anos, parceiro de Milton Nascimento em mais de 200 canções, não resistiu às complicações de um transplante de fígado. Inúmeras personalidades manifestaram pesar pela morte do jornalista, autor de “Travessia”, célebre composição que em 1967 ficou em segundo lugar no II Festival Nacional da Canção; relembre alguns de seus clássicos

Por Brasil 247

O jornalista e compositor Fernando Brant morreu na noite da sexta-feira (12), aos 68 anos, em Belo Horizonte. Parceiro de Milton Nascimento, compôs com mais de 200 canções, entre elas clássicos como “Travessia”, “Maria, Maria”, “Planeta Blue”, “Promessas do Sol” e a letra da versão em português de “Canção da América”. Brant morreu em decorrência de problemas no fígado após ter se submetido a um transplante do órgão na terça-feira passada. O novo fígado foi rejeitado pelo corpo e ele passou por uma outra cirurgia na sexta-feira (5), mas não resistiu.

O velório acontece neste sábado (13), no cemitério do Bonfim. O sepultamento está marcado para o fim da tarde. A intenção é que amigos, músicos e artistas que moram em outras cidades tenham tempo para se despedir. Brant deixa duas filhas, Isabel e Ana Luisa e um filho, Diógenes. Ele também deixa dois netos e a mulher Leise.

Fernando Brant foi diagnosticado com câncer no fígado há três anos, e foi submetido a uma cirurgia para retirada do tumor. Novos tumores, porém, foram descobertos este ano. Os médicos aconselharam o transplante. O novo órgão era de um doador de 15 anos.

Já na terça-feira, uma das artérias do fígado entupiu, necrosando o órgão e liberando toxinas no organismo. Os médicos então decidiram submete-lo a um novo transplante, após a localização de um outro doador. No entanto, o músico não resistiu ao novo procedimento e morreu na noite dessa sexta-feira.

Natural de Caldas, Fernando Brant nasceu em outubro de 1946. Formou-se em Direito pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Mais tarde atuou como repórter da sucursal mineira da revista “O Cruzeiro”. Mas foi como músico e compositor que ele fez sucesso.

O senador mineiro Aécio Neves lamentou a morte do “grande companheiro”: “Partilhamos os mesmos sonhos de Minas e de Brasil. Com muita tristeza, faço silêncio nesse momento, manifestando a minha homenagem e enviando, com emoção, o meu abraço à sua família, ao Roberto, ao Paulo e aos amigos do Clube da Esquina”.

Nilmário Miranda, Secretário de Estado de Direitos Humanos, Participação Social do Estado de Minas Gerais, escreveu no Facebook: “Foi com profundo pesar que recebi a notícia da morte do amigo e compositor mineiro Fernando Brant. Eu e minha família nos solidarizamos com o seus familiares e amigos.”

Em 1967, Brant participou do II Festival Nacional da Canção, na TV Globo, com três canções escritas em parceria com Milton Nascimento: “Morro velho”, “Maria minha fé” e o hit “Travessia”, que terminou em 2º lugar no evento. Em 1968, participou do IV Festival de Música Popular Brasileira, na TV Record, com a canção “Sentinela”, cantada por Cynara e Cybele.

Em 1972, as composições “San Vicente”, “Ao que vai nascer” e “Paisagem na janela” foram incluídas no histórico LP “Clube da Esquina” , de Milton Nascimento e Lô Borges.

Em 1998, as canções “Janela para o mundo” e “Louva-a-deus” integraram o repertório de “Nascimento”, disco premiado com o Grammy.

Abaixo, algumas composições de Fernando Brant imortalizadas na voz de Milton Nascimento:


Foto de capa: Divulgação

 


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum