Nando Moura xinga Ciro, Tico Santa Cruz e PCdoB em ato da 3ª via; veja vídeo

O músico e militante de extrema direita criticou o MBL por ter convidado pessoas do campo da esquerda

O músico e militante de extrema direita Nando Moura atacou Ciro Gomes, Tico Santa Cruz e o PCdoB por terem participado do ato organizado pelo MBL, que aconteceu neste domingo (12) na Av. Paulista, em São Paulo, e em diversas cidades do Brasil.

Durante o seu discurso, Moura afirmou atacou nominalmente o líder do PDT, Ciro Gomes. “O Ciro Gomes é o cara que falou que ia receber o juiz Sergio Moro na bala, falou que a Venezuela é uma democracia, então porra, vamos dialogar com esses caras, vocês estão loucos?”, comentou o músico.

Em seguida, ele criticou o fato de o PCdoB considerar que a Venezuela e a Coreia do Norte são democracias. “O PCdoB estava comemorando a tomada de Cabul pelo Talibã, o PCdoB é um puxadinho do PT, eles diem que a Coreia do Norte e a Venezuela é uma (sic) democracia”, lamentou.

O vocalista da banda Detonautas, Tico Santa Cruz, também foi alvo de ataques de Nando Moura. “O Tico Santa Cruz escreveu uma carta, sem citar nomes, mas essa carta dizia como ele ia torturar com crueldade aqueles caras que não pensavam como ele. Eu vou ficar do lado do cara fazendo o que?”, relatou.

Por fim, ele exaltou que faz parte da parcela que busca por uma terceira via. “Nem Lula, nem Bolsonaro, para a puta que o pariu. Você que acha que eu vou tirar foto com PCdoB, Ciro Gomes, Tico Santa Cruz, não me confunda com a sua mãe, canalhas… o vermelho nas bandeiras deles, o verde e amarelo é nosso!”, finalizou Nando Moura.

Avatar de Marcelo Hailer

Marcelo Hailer

Jornalista (USJ), mestre em Comunicação e Semiótica (PUC-SP) e doutor em Ciências Socais (PUC-SP). Professor convidado do Cogeae/PUC e pesquisador do Núcleo Inanna de Pesquisas sobre Sexualidades, Feminismos, Gêneros e Diferenças (NIP-PUC-SP). É autor do livro “A construção da heternormatividade em personagens gays na televenovela” (Novas Edições Acadêmicas) e um dos autores de “O rosa, o azul e as mil cores do arco-íris: Gêneros, corpos e sexualidades na formação docente” (AnnaBlume).

Você pode estar junto nesta luta

Fórum é um dos meios de comunicação mais importantes da história da mídia alternativa brasileira e latino-americana. Fazemos jornalismo há 20 anos com compromisso social. Nascemos no Fórum Social Mundial de 2001. Somos parte da resistência contra o neoliberalismo. Você pode fazer parte desta história apoiando nosso jornalismo.

APOIAR