Seja #sóciofórum. Clique aqui e saiba como
24 de janeiro de 2017, 10h34

O apagar dos grafites une todos contra Doria (até a Folha)

Com menos de um mês de mandato, o prefeito de São Paulo, João Doria, parece ter alcançado ao menos uma unanimidade. Ao começar a apagar os grafites da Avenida 23 de Maio, não consegue alguém que o defenda. Jornais, emissoras de rádio e TV, programas, artistas, jornalistas, o povo nas ruas, formam em uníssono um brado retumbante, que se uniu para criticar e desancar a medida.

Com menos de um mês de mandato, o prefeito de São Paulo, João Doria, parece ter alcançado ao menos uma unanimidade. Ao começar a apagar os grafites da Avenida 23 de Maio, não consegue alguém que o defenda. Jornais, emissoras de rádio e TV, programas, artistas, jornalistas, o povo nas ruas, formam em uníssono um brado retumbante, que se uniu para criticar e desancar a medida.

Da Redação

Com menos de um mês de mandato, o prefeito de São Paulo, João Doria, parece ter alcançado ao menos uma unanimidade. Ao começar a apagar os grafites da Avenida 23 de Maio, não consegue alguém que o defenda. Jornais, emissoras de rádio e TV, programas, artistas, jornalistas, o povo nas ruas, formam em uníssono um brado retumbante, que se uniu para criticar e desancar a medida.

Nesta terça-feira (24) foi a vez da Folha de São Paulo sair com um editorial que defende os grafites que o prefeito gari, ao que parece, obcecado por limpeza – e vendo sujeira onde é manifestação artística – tem apagado.

O texto, de saída, deixa claro, ao comparar o grafite com a pichação: “Bem diverso é o caso do grafite, expressão artística que tem na cidade de São Paulo um de seus centros mundiais mais reconhecidos”.

De acordo com o jornal, a atitude do prefeito “despertou imediata consternação por parte dos grafiteiros, que poderiam a justo título considerar-se vítimas de uma forma de vandalismo oficial”.

No final, o também liberal periódico fulmina: “João Doria, como se sabe, defende princípios liberais na economia e na política; como prefeito, entretanto, lança-se numa empreitada intervencionista e censória contra uma das poucas coisas que, pela espontaneidade criativa, tornam a cidade de São Paulo mais alegre e interessante de ver”.

 


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum