Seja #sóciofórum. Clique aqui e saiba como
08 de fevereiro de 2012, 19h04

Organização divulga lista das 10 piores transnacionais de 2008

O Observatório das Multinacionais divulgou a lista das dez piores corporações transnacionais de 2008. Na lista, há desde empresas financeiras e petrolíferas às indústrias dos setores alimentício e farmacêutico. Em ordem alfabética, destacam-se: AIG, Cargill, Chevron, Constellation Energy, CNPC, Dole, General Eletric, Imparial Sugar, Philip Morris International, Roche.

A entidade que monitora as atividades das multinacionais afirma que, se tivesse de eleger uma empresa como responsável pela crise financeira atual, escolheria a American International Group (AIG), que já absorveu mais de 150 bilhões de dólares em ajudas pagas com dinheiro de todos os contribuintes.

A lista denuncia os lucros exorbitantes obtidos pela Cargill com a crise nos preços de alimentos no final de 2007 e início de 2008, quando vários países e consumidores pobres ficaram a mercê do mercado mundial e dos gigantes corporativos que dominam o setor de alimentos. O lucro da empresa chegou a um bilhão de dólares no segundo quadrimestre de 2008.

O caso da empresa Chevron também é citado pelo Observatório. Em 2001, a empresa comprou a Texaco, porém não estava disposta a arcar com a responsabilidade da Texaco por suas violações dos direitos humanos e do meio ambiente. A Chevron conseguiu que os tribunais estadunidenses rechaçassem o processo, iniciado em 1993, contra a Texaco, por violações dos direitos de indígenas equatorianos.

Atualmente, o caso está sendo julgado no Equador e pode determinar que a empresa pague mais de 7 bilhões de dólares em indenizações. Caso seja conferida essa sentença, a companhia transnacional já articula uma negociação para que a Câmara de Comércio Estadunidense imponha sanções comerciais ao Equador se o governo equatoriano não arquivar o caso.

A refinaria de açúcar Imperial Sugar, localizada em Port Wentworth, Georgia, também, faz parte da lista. O motivo: uma explosão que provocou a morte de 14 mortos e queimaduras em dezenas de trabalhadores. A explosão foi provocada por negligência da empresa por não limpar o acúmulo de pó procedente do açúcar que se tornou altamente inflamável.

A empresa farmacêutica Roche, da Suíça, é denunciada em relação aos medicamentos para tratar o HIV. Segundo o Observatório, a Roche recebeu, em 2007, 266 milhões de dólares pelo medicamento Fuzeon. A empresa cobra dos estados 25 mil dólares por ano para proporcionar-lhes o medicamento e não oferece nenhum desconto aos países em desenvolvimento.

Para saber mais detalhes sobre as empresas citadas acima e as outras que compõem a lista, acesse o site: http://www.multinationalmonitor.org/mm2008/112008/weissman.html

Com informações da Adital.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum

#tags