Fórumcast, o podcast da Fórum
30 de março de 2015, 10h10

Síria: representante da ONU alerta para crise humanitária

Mais de 215 mil pessoas morreram desde março de 2011 no país, sendo 2014 o ano em que foi registrado maior número de mortes (76 mil)

Da Agência Lusa

Um representante da Organização das Nações Unidas (ONU) alertou hoje (30) para o risco de uma “catástrofe humanitária” na Síria, na véspera de uma conferência de doadores para a qual organizações não governamentais já reuniram donativos de 442 milhões de euros.

As Nações Unidas, cujo secretário-geral, Ban Ki-moon, vai presidir a conferência anual no Kuwait, pretendem alcançar um total de doações de US$ 8,4 bilhões para ajudar a população da Síria, há quatro anos em guerra.

“Fracassar na obtenção desses fundos conduziria a uma catástrofe humanitária perigosa”, advertiu Abdullah Al Maatug, enviado especial da ONU para os Assuntos Humanitários, diante de representantes de ONGs de vários países que estão no Kuwait para a conferência.

A diretora de Operações Humanitárias na ONU, Valerie Amos, disse que a situação continuou a se degradar na Síria, onde mais de 215 mil pessoas morreram desde março de 2011, sendo 2014 o ano em que foi registrado maior número de mortes (76 mil).

Veja também:  Governador do Amazonas rebate Bolsonaro sobre recursos de Noruega e Alemanha: "Precisamos, sim"

Quase um em cada dois sírios foi forçado a abandonar sua casa, o que constitui recorde mundial nos últimos 20 anos, segundo a ONU.

A terceira conferência de doadores para a Síria começa nesta terça-feira (31), com uma intervenção do emir do Kuwait, o xeque Mohamed Abdallah Al Sabah.

Em 2014, o encontro reuniu US$ 2,4 bilhões e, em 2013, US$ 1,5 bilhão.

(Foto: Menina síria se rende ao confundir câmera com um rifle/Reprodução/Huffpost)


Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum