Fórumcast #19
22 de junho de 2015, 17h32

Três mil famílias do MST reocupam latifúndio do senador Eunício Oliveira

As famílias retornaram ao complexo Santa Mônica após o governo federal não ter cumprido acordos realizados durante a primeira reintegração de posse.

As famílias retornaram ao complexo Santa Mônica após o governo federal não ter cumprido acordos realizados durante a primeira reintegração de posse

Por Brasil de Fato 

Cerca de três mil famílias do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) ocuparam, pela segunda vez, a Agropecuária Santa Mônica, complexo de fazendas registradas no nome do senador Eunício Oliveira (PMDB-CE) e autodeclaradas improdutivas. As famílias retornaram ao local, na manhã deste domingo (21), após o não cumprimento de acordos firmados com o governo federal na primeira reintegração, em 4 de março deste ano.

Entre os acordos estava o assentamento de cerca de 1.100 famílias em até 60 dias depois de terem sido expulsas do local. Além disso, por ser alvo de diversas denúncias de grilagem, foi definido a realização de um estudo na região sobre a legalidade da posse das terras do senador, que hoje tem cerca de 21 mil hectares.

O estudo não foi realizado e, de acordo com relatos dos acampados, após a saída das famílias, o local foi abandonado e tem sido desmatado ilegalmente.

Veja também:  Vitorioso nas prévias na Argentina, Alberto Fernández exalta Lula e fala em esperança

“Diante desta situação, o Acampamento Dom Tomás Balduíno, símbolo da luta popular e pela terra no Goiás, afirma sua determinação em permanecer na área até que o governo destine o complexo latifundiário para fins de reforma agrária”, afirmam integrantes do MST, em nota.

Entenda o caso

Em agosto de 2014 o Complexo Santa Mônica foi ocupado por cerca de três mil famílias Sem Terra. Em seu site, o MST elencou diversas modificações que realizou nos meses em que ocupou o local.

“Durante o período de estada no local, em pouco mais de 200 hectares os Sem Terra resgataram diversas variedades de sementes crioulas, sistemas de controle biológico, consórcios de culturas, princípios de alelopatia e mais uma gama de inovações desenvolvidas, bem como mais de 22 culturas diferentes passaram a ser cultivadas”, diz a nota do movimento.

Após seis meses de ocupação de parte do Complexo de Fazendas Santa Mônica, no dia 4 de março, dois mil policiais realizaram o despejo das famílias. O pedido foi expedido pelo juiz da Comarca de Corumbá, Levine Artiaga, que, segundo o Movimento, é acusado de ser alinhado com o senador, além de já ter frequentado a sua fazenda diversas vezes.

Veja também:  Vaza Jato: Dallagnol "fingiu" que não sabia corrupção de Onyx Lorenzoni

Foto: NINJA 


Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum