quarta-feira, 30 set 2020
Publicidade

Vídeo: Após ataques de deputado, padre Julio denuncia ameaças e ofensas na rua

Ameaças cresceram após Arthur do Val (Patriota), que é do MBL e candidato à Prefeitura de SP, tê-lo atacado em redes sociais

O padre Julio Lancellotti denunciou nesta terça-feira (15) que estão crescendo as ameaças e ofensas contra ele, por seu trabalho com pessoas em situação de rua.

O religioso gravou um vídeo em que relata as ofensas e que diz estar em risco cada vez maior depois de ter sido atacado por “alguns candidatos à prefeitura”.

“Estava aqui na praça com os irmãos de rua. Passou uma moto por aqui e o cara falou: ‘Padre filho da puta que defende noia’”, começa ele no vídeo.

“Depois dos ataques de alguns candidatos à prefeitura contra mim, eu estou cada vez mais em risco”, continuou o religioso.

O candidato que o atacou é o deputado estadual Arthur do Val (Patriota), o “Mamãefalei”. Em suas redes sociais, Do Val escreveu em suas redes sociais que o padre era “cafetão da miséria” por constantemente divulgar seu trabalho com a população em situação de rua.

Além disso, o parlamentar, que é do Movimento Brasil Livre (MBL), mentiu em uma entrevista dizendo que Lancellotti não conhecia a Cracolândia. Estranhamente, em outra ocasião o candidato de direita acusou o padre e integrantes da organização Craco Resiste, que monitora a violência policial na região, de apoiarem ataques de usuários de drogas contra a Guarda Civil Metropolitana.

Lancellotti é pároco da igreja São Miguel Arcanjo, na Mooca (zona leste) e vigário episcopal do Povo de Rua de São Paulo.  Seu trabalho é reconhecido por essa população, que tem nele muitas vezes a única voz a ser ouvida pelas autoridades. E isso incomoda a muitos.

 Em seu vídeo, o religioso diz: “Quero deixar claro se me acontecer alguma coisa: se alguém me atingir, se eu for atingido por alguém vocês sabem de quem é a culpa, de quem cobrar”, afirmou.

O vídeo mostra outras pessoas de máscara junto do padre e confirmam que ele é ameaçado e xingado com frequência.

“O risco que estou correndo é cada vez maior e a responsabilidade vocês sabem de quem é”, finaliza Lancellotti.

Fabíola Salani
Fabíola Salani
Graduada em Jornalismo pela Universidade Metodista de São Paulo. Trabalhou por mais de 20 anos na Folha de S. Paulo e no Metro Jornal, cobrindo cidades, economia, mobilidade, meio ambiente e política.