Seja #sóciofórum. Clique aqui e saiba como
20 de julho de 2018, 08h31

Acordo com Alckmin pode dar ao ‘centrão’ poderes inéditos

Se fechado o acordo, o grupo ficaria com a presidência da Câmara, do Senado e ainda a vice-presidência

Alckmin. Foto: Sérgio Vale/Secom

Conforme informa o Painel, da Folha, o acordo do “centrão”, fechado entre DEM e PP, com Geraldo Alckmin (PSDB) abre brecha para o grupo exercer poder de tutela inédito na história recente sobre um mandatário do país. Além da presidência da Câmara, que já está acertada desde o início das negociações, o consórcio indicaria também o vice do tucano e teria número suficiente para eleger o novo presidente do Senado. Aposta-se que caberá ao PP apontar o nome.

O acordo entre Alckmin e o “centrão” foi forjada em cima da tese da repartição do poder. Somados, eles praticamente garantem a recondução de Rodrigo Maia (DEM-RJ) à presidência da Câmara e, a números de hoje, chegam a 32 senadores. “Ninguém terá isso”, reconheceu um tucano.

A história recente da Câmara é de alternância de poder entre PT e MDB no comando das duas casas Legislativas, de 2003 a 2016. Na Câmara, só houve duas exceções: Aldo Rebelo, à época no PC do B, chefiou a Casa de 2005 a 2007. Foi sucedido por Severino Cavalcanti (PE) que, no PP, segurou-se pouquíssimo tempo no cargo.

O MDB controla o Senado desde 2001. Só houve um intervalo, em 2007, quando Tião Viana (PT-AC) assumiu a Casa após renúncia de Renan Calheiros (MDB-AL), e agora corre o risco de ficar de fora.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum