“Altíssimo risco”, diz Tereza Campello sobre fim do Bolsa Família

Ex-ministra do Desenvolvimento Social criticou o encerramento do programa e a falta de planejamento para o Auxílio Brasil

Por Cristine Sampaio, do Brasil de Fato

Depois de uma jornada de 18 anos de existência, chegou ao fim no Brasil o programa Bolsa Família, que teve seu último pagamento feito pelo governo de Jair Bolsonaro no último domingo (31).

O encerramento da política veio após um vaivém de anúncios, especulações e projeções – de dentro e fora do governo Bolsonaro – dos quais surgiu uma série de interrogações sobre o futuro das famílias que compõem o público-alvo das ações. 

E as dúvidas continuam pairando sobre a cabeça dos beneficiários e sobre o cenário político em torno do tema: o Auxílio Brasil, programa que deverá substituir o Bolsa Família, deve iniciar sua rota no próximo dia 17 e ainda não teve o escopo oficialmente detalhado pela gestão Bolsonaro.

“Como eu disse um tempo atrás, ele é um pastel de vento, não tem nenhuma informação. Ele tem todo um blá-blá-blá, mas nada que o sustente. Não tem previsão do ponto de vista fiscal e orçamentário e não tem avaliação de impacto”, dispara a economista Tereza Campello, ex-ministra do Desenvolvimento Social e Combate à Fome do governo Dilma (PT) e professora visitante da Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo (USP).

Confira aqui a entrevista na íntegra no Brasil de Fato

Notícias relacionadas