sábado, 19 set 2020
Publicidade

Após prisão de acusados de matar Marielle, Jean Wyllys diz que estava certo de deixar o país

Em entrevista à Mônica Bergamo, na edição desta quarta-feira (13) da Folha de S.Paulo, o ex-deputado Jean Wyllys (PSol), que abriu mão do mandato de deputado federal e saiu do Brasil depois de receber ameaças de morte, disse que o maior “impacto” que sentiu ao receber a notícia da prisão dos PMs acusados pela morte de Marielle Franco “foi mostrar que eu estava certo ao sair do país”.

Segundo Jean, a prisão de acusados do assassinato de Marielle “mexeu muito” com ele. “Foi um dia dificílimo”, afirma.

Ele diz também que foi “enojante” ver o governador do Rio, Wilson Witzel, dar uma entrevista coletiva sobre a morte da vereadora.

Durante a campanha em 2018, Witzel participou de um ato ao lado de correligionários que quebraram uma placa de rua com o nome dela. “Marielle foi difamada pela mesma rede que o ajudou a se eleger. Ele e Jair Bolsonaro foram beneficiados”, diz Wyllys.

Para o ex-deputado, “é preciso entender a trama desse assassinato, é preciso saber se ela está conectada com o resultado das eleições”.

Nossa sucursal em Brasília já está em ação. A Fórum é o primeiro veículo a contratar jornalistas a partir de financiamento coletivo. E para continuar o trabalho precisamos do seu apoio. Saiba mais.

Redação
Redação
Direto da Redação da Revista Fórum.