Benedita da Silva sofre ataques racistas e é excluída da lista de personalidades da Fundação Palmares

Em vídeo, Benedita chamou Sérgio Camargo, presidente da Fundação, de "capitão do mato" que age a mando de Bolsonaro e diz que entrará na Justiça contra a decisão. "O que ele fez é ilegal, é abuso de poder"

Alvo de ataques racistas nas redes sociais, a deputada Benedita da Silva, candidata do PT à prefeitura do Rio de Janeiro, foi retirada da lista de Personalidades Negras da Fundação Palmares nesta quarta-feira (30) pelo bolsonarista Sérgio Camargo, que preside a instituição.

“O nome da deputada Benedita da Silva (PT) foi excluído da lista de Personalidades Negras da Fundação Palmares. Benedita responde pelo crime de improbidade administrativa e seus bens foram bloqueados pela Justiça. O preto, o pobre e o favelado são as maiores vítimas da corrupção”, tuitou Camargo sobre Benedita, que em 2015 foi acusada pelo Ministério Público por improbidade administrativa, que ainda não transitou em julgado.

Em nota, a equipe da candidata afirmou que “com 40 anos de vida pública, a deputada Benedita da Silva já foi vereadora, deputada, senadora, secretária, governadora e ministra, sem jamais ter sido condenada sequer em primeira instância”.

Em vídeo, Benedita chamou Camargo de “capitão do mato” que age a mando de Bolsonaro.

“Ainda hoje fui surpreendida por uma decisão arbitrária do capitão do mato que preside, a mando de Bolsonaro, a Fundação Palmares, que deveria preservar a memória e a cultura do povo negro, mas está fazendo o contrário. Depois de exluir Mandela, Zumbi dos Palmares, da galeria de personalidades negras da Fundação, o capitão do mato retirou meu nome desta galeria”, diz Benedita.

“Mesmo não estando lá, eu continuo em boa companhia. Mas, o que ele fez é ilegal, é abuso de poder”, disse Benedita, dizendo que entrará na Justiça contra a ação de Camargo.

No vídeo, a petista diz ainda que os “ataques coordenados estão acontecendo desde domingo, com acusações infundadas e conteúdo racista”. “Mas eles não vão me calar e eu não vou recuar. Sou uma mulher forte e a luta nunca para”.

Leia a íntegra da nota de Benedita da Silva

Benedita reage ao racismo e à interferência do governo Bolsonaro nas eleições do Rio

A candidata da coligação “É a vez do povo”, Benedita da Silva, tem sofrido nas redes sociais, nos últimos dois dias, ataques orquestrados de robôs, incluindo posts racistas e preconceituosos contra a população das áreas pobres do Rio de Janeiro.

Simultaneamente, a Presidência da República escalou seu mais notório capitão-do-mato, o presidente da Fundação Palmares, Sérgio Camargo, para interferir no processo eleitoral do Rio de Janeiro e atacar a candidata. Os capitães-do-mato eram negros serviçais de fazendeiros que capturavam escravos fugitivos antes de 1888.

O serviçal de Bolsonaro anunciou unilateralmente a retirada do nome de Benedita da Silva da galeria da lista de Personalidades Negras da Fundação Palmares, alegando que ela responde a processo. Com 40 anos de vida pública, a deputada Benedita da Silva já foi vereadora, deputada, senadora, secretária, governadora e ministra, sem jamais ter sido condenada sequer em primeira instância.

O mesmo serviçal de Bolsonaro já havia excluído da galeria da Fundação Palmares heróis como Zumbi dos Palmares e Nelson Mandela. Benedita continua, portanto, em boa companhia, enquanto o capitão-do-mato segue sua desprezível carreira de bajulador.

A reação dos racistas coincide com a apresentação de um projeto de lei, de autoria da deputada Benedita da Silva, que reserva para os negros 20% das vagas nas ações financiadas com recursos públicos em parceria com organizações não governamentais.

Assim como fez recentemente ao ser atacada de maneira racista por um elemento radicado em Belém do Pará, deputada Benedita da Silva vai à Justiça para denunciar os crimes de racismo e para que sejam reparados os danos causados, e denunciará à Justiça Eleitoral a interferência indevida do Poder Executivo Federal no processo eleitoral do Rio de Janeiro.

Coligação “É a vez do povo”

Leia também: Empatada com Crivella, Benedita da Silva defende legado de Lula e sonha com Rio antirracista

Avatar de Plinio Teodoro

Plinio Teodoro

Jornalista, editor de Política da Fórum, especialista em comunicação e relações humanas.