Seja #sóciofórum. Clique aqui e saiba como
06 de novembro de 2019, 22h19

Bivar diz que não tem mais espaço para bolsonarismo no PSL

"Você tem hoje um conservadorismo radical e você tem um liberalismo. Essas duas correntes provavelmente não podem viver sob o mesmo teto", declarou o presidente do partido

Foto: Reprodução/GloboNews

Durante participação no programa Em Foco, comandado pela jornalista Andréia Sadi, na GloboNews, o presidente nacional do PSL, Luciano Bivar, afirmou que o conservadorismo radical, representado pelo clã Bolsonaro, não tem mais espaço junto do liberalismo de parte da legenda.

“Você tem hoje um conservadorismo radical e você tem um liberalismo. Essas duas correntes provavelmente não podem viver sob o mesmo teto”, declarou Bivar, que entrou em rota de colisão com Bolsonaro, após o presidente dizer para um eleitor “esquecer o PSL” e provocar uma racha interno.

Bivar ainda afirmou que gostaria muito que Bolsonaro ligasse para ele e tentasse acertar o destino comum, mas não crê nesse cenário. Ele declarou que os dois filhos do presidente filiados à sigla – Flávio e Eduardo – já estão articulando a criação de um novo partido para o bolsonarismo poder migrar e, por isso, acredita que eles não podem seguir no comando dos diretórios estaduais do PSL do Rio de Janeiro e de São Paulo, respectivamente.

“Eles estão constituindo um novo partido. Seria o ideal que eles deixassem e focassem no novo partido. Eles não têm nenhum projeto com o PSL para 2020”, afirmou.

Apesar dos atritos, ele não pensa em expulsar Bolsonaro. “Eu acho que seria uma violência, isso não passa pela nossa cabeça, ele é o presidente do Brasil, tem que ter um respeito à liturgia”, declarou.

“Uma facada”

Bivar ainda usou metáforas para se referir ao caos instalado no PSL. Ele disse que o episódio pode ser visto como um “raio no meio do oceano” e que Bolsonaro lhe deu uma “facada no coração” ao atacá-lo pessoalmente.

“Foi uma facada no coração. Como eu falei, um entristecimento enorme, porque eu sempre me doei”, afirmou. “É uma situação hoje que a gente nunca imaginou que pudesse acontecer. É como um raio que cai no meio do oceano”, disse também.

Fusão

O dirigente ainda afirmou que o PSL cogita uma fusão com grandes partidos e citou o DEM, do presidente da Câmara, Rodrigo Maia, e o PL, quer possui a terceira maior bancada da Casa. “Uma fusão fortalece. Ela passa por um grande partido”, declarou.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum