Bolsonaro lembra 3 anos da facada e convoca manifestação dizendo que dá a vida pela liberdade

Presidente faz apelo em tom dramático para inflar atos golpistas marcados para o 7 de setembro, Dia da Independência, e republicou foto do momento em que foi atingido em Juiz de Fora

O presidente Jair Bolsonaro fez uma postagem em seu Twitter, nesta segunda-feira (6), alusiva aos três anos do ataque a faca que sofreu em Juiz de Fora (MG) durante a campanha eleitoral da qual saiu vitorioso, em 2018. Em tom dramático e apelativo, o atual ocupante do Palácio do Planalto aproveitou o ensejo para convocar seus fanáticos seguidores para os atos golpistas convocados para amanhã, Dia da Independência.

“Há exatos 3 anos tentaram me matar. Agradeço à Deus pela sobrevivência. Hoje, se preciso for, a vida pela liberdade”, escreveu no curto texto que acompanha a fotografia do momento exato que Adélio Bispo de Oliveira o atingiu no abdômen com uma faca de 30 centímetros, provocando graves ferimentos no então candidato, que já foi submetido a várias cirurgias por conta do episódio.

Atos golpistas

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) está apostando o seu governo nas manifestações do dia 7 de Setembro. Assim como já havia feito em transmissões ao vivo e manifestações de rua, ele resolveu usar as suas próprias redes sociais na manhã desta segunda-feira (6), para convocar a população para os atos.

Ele vem provocando o Supremo Tribunal Federal (STF) e alguns setores do Congresso há meses, mantendo a agenda política da nação atrelada a uma tensão artificial: ele quer colocar o sistema democrático do país em xeque, minando a credibilidade de outras autoridades, numa tentativa desesperada de recuperar algum prestígio, uma vez que seu governo derrete em meio à incompetência generalizada na administração, às desastrosas gestões na pandemia e na crise econômica e aos sucessivos escândalos de corrupção envolvendo aliados, filhos e até ele próprio.

Avatar de Henrique Rodrigues

Henrique Rodrigues

Jornalista e professor de Literatura Brasileira.