Cai o número de militares eleitos no país, apesar do recorde de candidatos

Os dados indicam mais uma derrota do bolsonarismo nas últimas eleições municipais

O número de candidaturas de militares foi recorde nas últimas eleições, mas o número de eleitos caiu de 693 para 623 no país. Entre os vereadores a queda é de 11%, mas com relação aos prefeitos, houve um ligeiro aumento.

Há quatro anos, 33 deles conseguiram chegar ao Executivo municipal. Neste ano, são 36. O número, no entanto, é considerado baixo com relação ao total de candidatos à prefeito, que foi de 387.

O levantamento é do G1, que levou em consideração todos aqueles que se identificaram como policial militar ou civil, bombeiro militar, membro das Forças Armadas e militar reformado.

No total, 587 candidatos a vereador que se apresentam como oriundos das forças de segurança foram eleitos neste ano. Eram 5.968 na disputa. Em 2016, foram eleitos 660.

São Paulo foi o estado onde o maior número de militares se elegeram (89). Na sequência, aparecem Minas Gerais (75), Paraná (39) e Rio Grande do Sul. No Rio de Janeiro, base eleitoral do presidente Jair Bolsonaro, apenas 38 candidatos foram eleitos.

São Paulo também lidera a lista com mais prefeitos eleitos vindos das forças de segurança: 8. Em seguida estão os estados de Goiás e Minas Gerais, com quatro prefeitos eleitos cada um.

Os dados indicam mais uma derrota do bolsonarismo nas últimas eleições municipais.

Avatar de Julinho Bittencourt

Julinho Bittencourt

Jornalista, editor de Cultura da Fórum, cantor, compositor e violeiro com vários discos gravados, torcedor do Peixe, autor de peças e trilhas de teatro, ateu e devoto de São Gonçalo - o santo violeiro.