Fórumcast, o podcast da Fórum
25 de setembro de 2018, 15h55

Cantora paraense grava contra Bolsonaro, é confundida com neta de Chico Buarque e bomba nas redes

O mal entendido foi rapidamente desmentido pelas duas. Veja o vídeo com a canção aqui

A cantora Júlia Passos. Foto: Reprodução YouTube

A cantora paraense Júlia Passos gravou uma canção, em sua conta no Instagram, composta por Marina Íris, chamada “Ele Não” (Veja a letra e o vídeo abaixo). Até ai tudo bem, não fosse o fato do vídeo bombar nas redes, mas com os créditos para Clara Buarque, neta do cantor, compositor e escritos Chico Buarque.

O mal entendido foi rapidamente desmentido pelas duas. Júlia Passos postou no seu Instagram: “Gente, eu não sou a Clara Buarque”. A cantora escreveu ainda que “é uma hora ser confundida com a neta do Chico, mas eu sou a Júlia Passos”.

Instagram de Júlia Passos

Clara Buarque, por sua vez, escreveu na Bio do seu perfil do Instagram: “Não sou eu cantando no vídeo contra o Bolsonaro que está sendo compartilhado por ai! É a Júlia Passos”.

Instagram de Clara Buarque

Feitos os esclarecimentos, vale à pena prestar atenção na voz de Júlia e na canção de Marina. Veja o vídeo e leia a letra abaixo:

Ele é o olho roxo de quem não caiu da escada
Ele é a violência escondida na piada
Ele é aquele aperto nojento na condução
Ele é a casa grande rindo da escravidão
Ele é o país na contramão da caminhada
Ele é o patrão violando a empregada
Ele é o nosso salário um terço mais baixo
A política do ódio, covardia e esculacho
A barbárie de farda berrando no palanque
A hipocrisia mais truculenta
Ele é a mão suja de sangue
Que se diz ungida de água benta
Ele é o atraso que país nenhum merece ter
E nós somos as mulheres
Que não vão deixar ele vencer


Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum