Fórumcast, o podcast da Fórum
16 de agosto de 2019, 20h53

Caso Queiroz: Bolsonaro pediu a demissão de superintendente da PF no RJ

Presidente tenta barrar investigações sobre sua família e Fabrício Queiroz, mesmo diante do fato de que o caso não estava sob a alçada do agora ex-superintendente da PF

Reprodução/Twitter

Ricardo Saadi foi demitido, na quinta-feira (15), da função de superintendente da Polícia Federal no Rio de Janeiro. O pedido de afastamento foi feito pelo presidente da República, que afirma a pessoas próximas não confiar no servidor público. Jair Bolsonaro tem medo que a PF aumente as investigações em casos que envolvem sua família e Fabrício Queiroz, ex-chefe de gabinete do seu filho Flávio Bolsonaro.

Detalhe que a Polícia Federal do RJ não tem nenhuma interferência direta nesses casos, que estão sob investigação do Ministério Público do Rio de Janeiro e da PF em Brasília. Aos cuidados de Saadi estava o inquérito sobre um esquema dentro da Polícia Civil fluminense que tentava atrapalhar os trabalhos para elucidação do assassinato da vereadora Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes.

O Facebook silenciou a Fórum. Censura? Clique aqui e nos ajude a lutar contra isso

Em um ponto os casos Queiroz e Marielle Franco se cruzam. A mulher e mãe de um dos suspeitos de terem executado a vereadora foi empregada no gabinete de Flávio Bolsonaro por Fabrício Queiroz. Mesmo tendo defendido diversas vezes em tribunais parlamentares a ação de milicianos, os Bolsonaro negam qualquer tipo de vínculo com os grupos criminosos.

Quem está cotado para assumir a vaga deixada por Ricardo Saadi é o superintende da Polícia Federal em Pernambuco, Carlos Henrique Oliveira. Jair Bolsonaro prefere que quem assuma o posto seja Alexandre Saraiva, que comanda a PF no Amazonas.

Esse episódio é mais um que esquenta o entrave existente entre o presidente da República e o ministro da Justiça, Sérgio Moro, que vem perdendo prestígio dentro do Planalto desde que apareceu em conversas tramando junto com procuradores da Lava jato a investigação que levou o ex-presidente Lula à prisão.


Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum