Seja #sóciofórum. Clique aqui e saiba como
31 de agosto de 2019, 11h13

Cid Gomes prega reconciliação com PT

O senador disse que não pretende mais demarcar uma posição contra o PT

Fernando Haddad e Ciro Gomes - Foto: Ricardo Stuckert

O senador Cid Gomes (PDT-CE), ex-ministro da Educação do Governo Dilma, deu uma entrevista ao Congresso em Foco em que comentou sobre a construção de uma nova aliança com o PT, dez meses após fazer um discurso em que esbravejava que o ex-presidente Lula estava preso – a fala virou até camisa de bolsonaristas.

“A gente pretendeu, e acho que para mim isso é página virada, demarcar uma posição diferente do PT. Daqui para frente se em algum momento, algum ponto nos coloca em trincheira comum, nós com o PT, nós iremos travar luta”, disse Cid.  “Nosso inimigo não é o PT, temos um projeto para o Brasil e vamos seguir uma convergência com o que nós acreditamos. Não temos nenhum problema em fazer uma luta comum”, completou.

Durante a conversa com os jornalistas Lauriberto Pompeu e Edson Sardinha, o senador pontuou críticas ao partido mas o tempo todo reafirmou a necessidade de “virar a página” e construir uma luta em comum. No entanto, ele considera que essa unidade não pode ser “contra Bolsonaro”, mas a favor de um outro projeto de país.

“Acho que um grande erro na política brasileira é você se unir contra alguma coisa. Isso dá no Bolsonaro. Se unir contra e não em favor de alguma coisa, acho que o Brasil tem que se reunir em torno de um projeto, não de pessoas. Projeto claro, discutir em torno de uma posição e se reunir em torno de um projeto. Se na nova [eleição], ficar de novo, ressentimento contra a velha política, contra o PT, contra os partidos tradicionais e vai entrar o nosso amigo Luciano Huck”, avaliou.

Cid ainda declarou que espera que Bolsonaro conclua o mandato pelo qual ele foi eleito, mas que sofra bastante pressão popular. “Eu torço para que termine porque democracia pressupõe mandato, voto, ele teve os votos e tem o mandato. Mas o que acho que nós outros temos que fazer e na medida naturalmente que essa insatisfação popular vá aumentando, é cuidar de reduzir danos, fazer um trabalho de redução de danos”, pontou.

Na sexta-feira, Fernando Haddad e Ciro Gomes, concorrentes na disputa à presidência em 2018, se reencontraram durante o Festival de Cinema do Ceará e se abraçaram enquanto se cumprimentavam. O gesto viralizou nas redes sociais.

Confira a íntegra da entrevista no Congresso em Foco


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum

#tags