Com Bolsonaro e Guedes, economia derrete e PIB de 2020 cai 4,1%, maior recuo desde 1996

Queda recorde também marca interrupção no crescimento econômico de três anos seguidos

O Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil registrou uma queda de 4,1% em 2020 em comparação com o ano anterior. Trata-se do maior recuo já registrado desde o início da série histórica, iniciada em 1996.

Com isso, o PIB totalizou uma soma de R$ 7,4 trilhões no ano passado. Em relação ao PIB per capita, ou seja, por habitante, houve um acúmulo de R$ 35.172 em 2020, recuo recorde de 4,8% em relação a 2019. Os dados foram divulgados nesta quarta-feira (3) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

A queda recorde no PIB também marca uma interrupção no crescimento econômico de três anos seguidos, de 2017 a 2019, quando o índice acumulou alta de 4,6%.

Especialistas atribuem a queda aos efeitos da pandemia do coronavírus na economia. Segundo Rebeca Palis, coordenadora de Contas Nacionais do IBGE, o resultado do PIB é efeito da paralisação das atividades econômicas para controle da disseminação do vírus.

“Mesmo quando começou a flexibilização do distanciamento social, muitas pessoas permaneceram receosas de consumir, principalmente os serviços que podem provocar aglomeração”, afirmou a coordenadora em entrevista ao UOL.

Avatar de Luisa Fragão

Luisa Fragão

Jornalista.