Datafolha confirma disparada de Lula sobre Bolsonaro: 58% a 31%

Na pesquisa espontânea, quando não são revelados os nomes dos candidatos, Lula subiu 5 pontos porcentuais - de 21% para 26% - desde o último levantamento, realizado em maio

Pesquisa Datafolha divulgada nesta sexta-feira (9) confirma a disparada do ex-presidente Lula (PT) sobre Jair Bolsonaro (Sem Partido) na simulação da disputa presidencial de 2022.

O petista continua subindo nas pesquisas em todos os cenários. No segundo turno, Lula venceria Bolsonaro por 58% a 31%, quase o dobro dos votos, segundo o Datafolha.

Na pesquisa espontânea, quando não são revelados os nomes dos candidatos, Lula subiu 5 pontos porcentuais – de 21% para 26% – desde o último levantamento, realizado em maio. Bolsonaro tinha 17% e foi para 19%. Ciro Gomes (PDT) oscilou de 1% para 2%. Os que dizem não saber em quem votar eram 49% e hoje são 42% – outros candidatos marcaram 2%; nulos ou brancos são 8%.

Cenários
Lula também aparece à frente nos dois cenários pesquisados pelo Datafolha. Na simulação com o governador paulista João Doria (PSDB), o petista registra 46% das intenções de voto. Bolsonaro tem 25%, Ciro 8%, o tucano marca 5%, e Luiz Henrique Mandetta, do DEM, 4%. Não sabem são 2% e em branco ou nulo 10%.

No cenário com o governador gaúcho Eduardo Leite como candidato tucando, Lula marca os mesmos 46% contra 25% do atual presidente. Ciro sobe 1 ponto e vai a 9%, Mandetta chega a 5% e Leite registra 3%. Não sabem, brancos ou nulos são idênticos à primeira simulação.

Rejeição
A pesquisa mostra ainda que Bolsonaro lidera disparado a rejeição entre os eleitores: 59% dizem que não votariam nele.

Lula e Doria são rejeitados por 37%, Ciro por 31%, Mandetta por 23% e Eduardo Leite, ainda desconhecido para a maioria, 21%.

Notícias relacionadas

Avatar de Plinio Teodoro

Plinio Teodoro

Jornalista, editor de Política da Fórum, especialista em comunicação e relações humanas.

Você pode estar junto nesta luta

Fórum é um dos meios de comunicação mais importantes da história da mídia alternativa brasileira e latino-americana. Fazemos jornalismo há 20 anos com compromisso social. Nascemos no Fórum Social Mundial de 2001. Somos parte da resistência contra o neoliberalismo. Você pode fazer parte desta história apoiando nosso jornalismo.

APOIAR