sábado, 31 out 2020
Publicidade

Eduardo Bolsonaro defende invasão de embaixada venezuelana por grupos fascistas

O deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) foi às redes sociais na manhã desta quarta-feira (13) para apoiar a invasão da Embaixada da Venezuela em Brasília por um grupo de 20 apoiadores de Juan Guaidó, presidente autoproclamado da Venezuela que é reconhecido pelo governo Jair Bolsonaro.

“Nunca entendia essa situação. Se o Brasil reconhece Guaidó como presidente da Venezuela por que a embaixadora Maria Teresa Belandria, indicada por ele, não estava fisicamente na embaixada? Ao que parece agora está sendo feito o certo, o justo”, escreveu o filho do presidente.
A advogada Maria Teresa Belandria Expósito foi designada como “embaixadora” por Guaidó, mas nunca assumiu o cargo nem ocupou a embaixada. No entanto, Expósito emitiu nota nesta manhã dizendo que funcionários da embaixada teriam aberto as portas para “entregar voluntariamente a sede diplomática a representação legitimamente reconhecida pelo Brasil”.
“Ao ingressar a sede, podemos verificar que um grupo de funcionários morava na residência oficial, contígua a seção administrativa. Foi notificada a ação de seus companheiros e, imediatamente, foram convidados a incorporar-se ao trabalho na embaixada, como garantido nos seus direitos de trabalho. Finalmente, comunicamos a nossa disposição em mediar junto às autoridades brasileiras caso decidam abandonar o país”, diz a nota, que também convoca todos os funcionários das embaixadas brasileiras a obedeceram a Guaidó.
Um grupo de deputados, liderados pelo petista Paulo Pimenta (PT-RS), está agora na embaixada tentando expulsar os invasores.

Redação
Redação
Direto da Redação da Revista Fórum.