Seja #sóciofórum. Clique aqui e saiba como
13 de fevereiro de 2019, 10h51

Empresário morto em 2012 intermediou repasses de R$ 28,2 milhões a Aécio Neves, diz PF

Segundo a investigação, repasses eram acertados com Dimas Toledo, ex-diretor de Furnas, e a maioria dos depósitos teria sido feita em uma conta em Cingapura controlada por Alexandre Accioly

Aécio Neves, Alexandre Accioly e Dimas Toledo (Montagem)

Reportagem de Luiz Vassallo e Julia Affonso, no blog do Fausto Macedo nesta quarta-feira (13), informa que a Polícia Federal identificou empresário que teria intermediado repasses de R$ 28,2 milhões ao deputado Aécio Neves (PSDB/MG) na campanha para o Senado, em 2010.

Segundo a reportagem, empresários alugaram uma sala comercial no bairro de Ipanema, no Rio, onde teriam sido entregues R$ 28,2 milhões em espécie. A PF elencou 20 repasses que somam R$ 28,2 milhões a um intermediário de nome ‘Antônio’.

Segundo as investigações, no endereço citado, estava sediada a SOA & W Serviços de Digitação Ltda, representada por José Antonio Estevão Soares. O empresário, no entanto, faleceu em 2012, de acordo com cadastro da Receita Federal.

Os repasses teriam sido feitas pelas empreiteiras Andrade Gutierrez e Odebrecht, que teriam os interesses defendidos por Aécio nas obras das usinas hidrelétricas do Rio Madeira, Jirau e Santo Antônio.

Os executivos dizem que repasses eram acertados com o ex-diretor de Furnas Dimas Toledo. Aliado de Aécio, Toledo é considerado o autor da “lista de Furnas”, que incluía uma lista de políticos ligados ao PSDB que receberam propina da estatal mineira Furnas – o inquérito envolvendo Aécio foi arquivado pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes.

Ainda segundo a PF, a maioria dos depósitos teria sido feita em uma conta em Cingapura controlada por Alexandre Accioly, empresário amigo do deputado, que é dono da rede de academias Bodytech. Nos autos, Accioly nega ser intermediário do tucano.

Advogados de Aécio negam o envolvimento dele com o caso.

Nossa sucursal em Brasília já está em ação. A Fórum é o primeiro veículo a contratar jornalistas a partir de financiamento coletivo. E para continuar o trabalho precisamos do seu apoio. Saiba mais.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum