O que o brasileiro pensa?
01 de julho de 2019, 15h38

Ex-ministros da Ciência divulgam manifesto contra retrocessos do governo Bolsonaro

“Agravam-se os cortes orçamentários drásticos que poderão levar a um retrocesso sem paralelo na história da ciência brasileira”, diz o documento

Aloizio Mercadante - Foto: Valter Campanato/Arquivo Agência Brasil

Um grupo formado por ex-ministros da Ciência, Tecnologia e Inovação nos últimos 30 anos, lançou, nesta segunda-feira (1), um manifesto contra as posições adotadas pelo governo de Jair Bolsonaro para o setor. “Vivemos hoje a maior das provações da nossa história” é a frase que motivou a criação do documento.

Intitulado “A ciência brasileira em estado de alerta”, a reunião foi realizada nas dependências da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

Inscreva-se no nosso Canal do YouTube, ative o sininho e passe a assistir ao nosso conteúdo exclusivo.

“Agravam-se os cortes orçamentários drásticos que poderão levar a um retrocesso sem paralelo na história da ciência brasileira, área essencial e crítica, tanto ao desenvolvimento econômico e social quanto à soberania nacional”, diz o manifesto.

Esta foi a quarta oportunidade que ex-ministros de gestões anteriores se reúnem para protestar contra as políticas desenvolvidas pelo governo Bolsonaro. Antes se encontraram ex-ministros do Meio Ambiente, da Educação e da Justiça.

Nesta terça-feira (2) haverá reunião com ex-titulares da pasta de Cultura. Em seguida, será Saúde.

Entre os que assinam o manifesto estão os ex-ministros de Dilma Rousseff: Aloízio Mercadante (2011), Marco Antonio Raupp (2012 a 2014), Clélio Campolina (2014) e Celso Pansera (2015 e 2016), além de Roberto Amaral, do governo Lula (2003).

José Goldemberg (Collor, 1990 a 1992), Sérgio Machado Rezende (Lula, 2003), Aldo Rebelo, Luiz Carlos Bresser-Pereira e Ronaldo Sardenberg, que também assinaram o documento, não participaram do evento.

Contingenciamento e bolsas

De acordo com informações divulgadas na reunião, as universidades federais, responsáveis por 95% da produção científica brasileira, tiveram, somente em 2019, 42% do seu orçamento anual contingenciado e 6.198 bolsas bloqueadas no mestrado, doutorado e pós-doutorado.

“Não se pode permitir a criação de condições que estimulem a evasão de nossos melhores cérebros nem a ausência de representantes da comunidade científica em comitês e conselhos governamentais”, diz outro trecho do manifesto.

Com informações da Folha de S.Paulo


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum