Ex-ministros pretendem denunciar Bolsonaro no exterior por desfigurar Programa Nacional de Direitos Humanos

Deputada federal Maria do Rosário, ex-ministra de Direitos Humanos e uma das líderes da iniciativa, comentou portaria de Damares Alves para alterar o texto do programa: “é a destruição de uma política nacional”

Um grupo de ex-ministros de Direitos Humanos e parlamentares ligados ao tema estão preparando uma denúncia contra o governo de Jair Bolsonaro em organismos internacionais pela iniciativa da ministra Damares Alves, anunciada nesta quinta-feira (11), de alterar o PNDH (Programa Nacional de Direitos Humanos (PNDH).

As mudanças serão promovidas a partir de uma portaria baixada pela ministra, que criou um grupo que terá a missão de reescrever os parâmetros do PNDH.

A deputada federal Maria do Rosário (PT-RS), que também é ex-ministra dos Direitos Humanos, é uma das representantes do grupo que organiza a denúncia contra o governo Bolsonaro.

Em entrevista para a coluna da jornalista Mônica Bérgamo, na Folha de São Paulo, a parlamentar afirma que a medida liderada por Damares “é a destruição da política nacional de Direitos Humanos, construída em mais de 50 conferências temáticas, com representantes de todos os matizes e de todas as causas que os conectam ao sistema internacional”.

Rosário também reclama por Damares estabelecer que os debates a respeito das mudanças no PNDH devem ser mantidos em sigilo. “É o princípio da falta de transparência que está em vigência com Bolsonaro e essa anti-ministra dos Direitos Humanos”, alegou a deputada.

Avatar de Victor Farinelli

Victor Farinelli

Jornalista formado pela Universidade Católica de Santos, há 15 anos é correspondente na Argentina (2004 e 2005) e no Chile (desde 2006).

Você pode estar junto nesta luta

Fórum é um dos meios de comunicação mais importantes da história da mídia alternativa brasileira e latino-americana. Fazemos jornalismo há 20 anos com compromisso social. Nascemos no Fórum Social Mundial de 2001. Somos parte da resistência contra o neoliberalismo. Você pode fazer parte desta história apoiando nosso jornalismo.

APOIAR