Fórumcast #19
10 de janeiro de 2019, 07h16

Filho de Mourão quis desistir do cargo no BB, mas pai insistiu: “é mérito seu, pô”

Com a promoção, que aconteceu cinco dias depois de Mourão assumir a vice-presidência do Brasil, Antônio Hamilton vai triplicar o salário para exercer a mesma atividade, além de dar conselhos ao presidente do banco. Caso gerou revolta entre funcionários.

Montagem

Após a repercussão negativa de sua promoção à assessor da Presidência do Banco do Brasil dias após o pai, o general Hamilton Mourão, tomar posse como vicê-presidente do país, Antônio Hamilton Rossell Mourão pensou em desistir do cargo, mas foi desencorajado pelo militar.

Blog do Rovai: A guerra Globo x Bolsonaro e a cobertura do filho do Mourão

“Obviamente que ele não está acostumado com isso, ficou chateado, pensou em não aceitar, em renunciar, por causa da repercussão. Eu disse pra ele: ‘Não, meu filho, isso aí é mérito seu e acabou, pô’”, disse o general em entrevista a Fábio Victor, publicada nesta quarta-feira (9), no site da revista Piauí.

Fórum terá um jornalista em Brasília em 2019. Será que você pode nos ajudar nisso? Clique aqui e saiba mais

Segundo a reportagem, o vice-presidente afirmou que está descartada a renúncia do filho ao cargo, que lhe garantiu um salário de R$ 36,3 mil – três vezes maior do que recebia anteriormente. “Falei pra ele que não, negativo. ‘Isso é uma coisa que é sua, lhe pertence, e acabou'”.

Veja também:  Attuch: projeto contra abuso de autoridade é tiro de bazuca contra justiça do espetáculo

Com a promoção, que aconteceu cinco dias depois de Mourão assumir a vice-presidência do Brasil, Antônio Hamilton vai triplicar o salário para exercer a mesma atividade, além de dar conselhos ao presidente do banco. Caso gerou revolta entre funcionários.

“Meu filho, Antônio, ingressou por concurso no BB há 19 anos. Com excelentes serviços, conduta irrepreensível e por absoluta confiança pessoal do Presidente do Banco foi escolhido por ele para sua assessoria. Em governos anteriores, honestidade e competência não eram valorizados”, tuitou Mourão sobre o filho, que ocupava há 11 anos a assessoria da área de agronegócio, com salário de R$ 12 mil.

Leia a reportagem da Piauí na íntegra.

Agora que você chegou ao final deste texto e viu a importância da Fórum, que tal apoiar a criação da sucursal de Brasília? Clique aqui e saiba mais


Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum