Flávio Bolsonaro vai à polícia contra Ivan Valente (PSOL), autor de ação no MP para investigar mansão de R$6 milhões

Senador, alvo de um inquérito no MP aberto após ação movida pelo deputado, registrou Boletim de Ocorrência por "denunciação caluniosa"; psolista diz que trata-se de "mais uma ação diversionista de quem tem culpa no cartório"

O senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) resolveu, nesta terça-feira (6), registrar na 5ª Delegacia de Polícia Civil, em Brasília, um Boletim de Ocorrência contra o deputado federal Ivan Valente (PSOL-SP). O motivo é o fato do parlamentar ter sido o autor de uma representação no Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) que motivou a abertura de um inquérito do órgão para investigar a compra da mansão de R$6 milhões adquirida recentemente pelo filho do presidente.

Acompanhado do advogado Frederick Wassef, o dono da casa onde o ex-assessor Fabrício Queiroz foi encontrado quando era procurado pela polícia, Flávio argumentou, no BO, que foi vítima de “denunciação caluniosa” por parte de Valente.

“A vítima informa que tem absoluta convicção estar sofrendo novamente o crime de denunciação caluniosa, isto porque o senhor Ivan Valente é sabedor de sua inocência e tem plena convicção que jamais o declarante cometeu qualquer crime ou ilícito na simples compra de um imóvel, cuja metade foi financiado, contraindo uma dívida de financiamento pelos próximos 30 anos, e que se tratou de uma operação imobiliária absolutamente legítima, legal”, diz um trecho do registro policial.

Procurado pela Fórum, Ivan Valente sugeriu que Flávio registre um Boletim de Ocorrência contra a Promotoria, já que o MP acatou as suspeitas sobre a compra da mansão levantadas pelo deputado na representação.

“Flávio Bolsonaro, figura ligada a milicianos e a esquema de desvios de recursos públicos na Alerj, resolveu nos processar em razão de uma representação que enviamos ao MP. Pedimos investigação em por conta de vantagens estranhas que o senador teve direito no contexto de empréstimo para a compra de mansão de seis milhões de reais. O MP acatou nossa suspeita e resolveu investigar. Portanto, Flávio deveria fazer boletim de ocorrência contra a Promotoria”, disse o psolista.

“É óbvio que Flávio tem muito o que explicar. Queiroz que o diga. Esse BO é mais uma ação diversionista de quem tem culpa no cartório”, completou.

Entenda

O Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) abriu no dia 5 de abril uma investigação preliminar sobre a compra da mansão de Flávio Bolsonaro em Brasília. O negócio foi financiada no Banco de Brasília (BRB) e, segundo Ivan Valente (PSOL-SP), Flávio não cumpria as condições necessárias pra um financiamento de tanta envergadura.

O senador se comprometeu a pagar R$ 3,1 milhões em um financiamento de 30 anos. Ele teria pago R$ 181 mil à vista para quitar impostos e mais R$ 2,87 milhões de entrada.

As parcelas representam o equivalente a 70% da renda de Flávio como senador, que tem salário líquido de R$ 24,9 mil.

A mansão está localizada no Setor de Mansões Dom Bosco, no Lago Sul, bairro nobre de Brasília. O imóvel possui 8 quartos, piscina, churrasqueira, academia, brinquedoteca, 1.100 m² de área construída e 2.500 m² de terreno.

Avatar de Ivan Longo

Ivan Longo

Jornalista e repórter especial da Revista Fórum.