O que o brasileiro pensa?
30 de julho de 2020, 07h12

Gabriela Prioli diz que Bolsonaro usa cloroquina como estratégia para 2022: “A ciência, como todos sabem, é comunista”

Para a advogada, presidente utilizará a desculpa de que a cura do coronavírus foi inviabilizada pela oposição

Bolsonaro com a cloroquina (Reprodução/Twitter)

Em artigo publicado na noite desta quarta-feira (29) no jornal Folha de S.Paulo, a apresentadora e advogada Gabriela Prioli afirma que o presidente Jair Bolsonaro tem utilizado a cloroquina como campanha política para 2022. Para tanto, de acordo com ela, ele não precisa que o medicamento seja de fato eficaz contra o coronavírus.

“A ciência, como todos vocês sabem, é comunista. Infectado, Bolsonaro se tornou a ‘prova’ de que a cloroquina dá certo”, ironiza a advogada. Ela diz, em seguida, que a estratégia do ex-capitão para as próximas eleições requer apenas que as pessoas acreditem que o remédio é eficaz contra a doença.

“O presidente sem projeto e do ‘a culpa não é minha’ não precisa que a cloroquina funcione, precisa só que as pessoas acreditem que funciona para que ele possa repetir o ‘mimimi’ que engaja, vejam só a ironia, quem reclama que tudo é ‘mimimi'”, continua.

Com isso, de acordo com ela, Bolsonaro utilizará o argumento de que, por culpa de seus adversários, pessoas foram impedidas de utilizar o medicamento e de se salvar na pandemia.

“É uma complementação da já manjada, e equivocada, desculpa de que o STF decidiu que o governo federal não podia criar um plano de enfrentamento à Covid-19. Assim, a cura do coronavírus foi inviabilizada pela oposição, e a crise econômica é culpa da oposição”, diz a advogada.

Prioli destaca que há um empecilho nessa estratégia de campanha do presidente. O Tribunal de Contas da União (TCU) iniciou uma investigação para apurar possível mau uso de recurso público, através de superfaturamento, com a produção de cloroquina pelo Exército.

O Laboratório Químico e Farmacêutico do Exército já gastou mais de R$ 1,5 milhão para produzir o medicamento em meio à pandemia do coronavírus. A produção já foi ampliada em mais de 100 vezes.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum