segunda-feira, 21 set 2020
Publicidade

Ivo Herzog diz a Ernesto Araújo que o pai foi “assassinado por aqueles que te deram o emprego”

De acordo com informações da coluna de Mônica Bergamo publicada nesta terça-feira (2), Ivo Herzog, filho do jornalista Vladimir Herzog, assassinado pela ditadura militar, pediu que o chanceler Ernesto Araújo renuncie “imediatamente ao cargo” de ministro das Relações Exteriores do Brasil.

“A família do meu pai veio para o Brasil fugindo dos nazistas. Os que lá ficaram foram brutalmente assassinados. O meu pai foi brutalmente assassinado por aqueles que te deram o emprego que o senhor tem. Meu pai sempre foi de esquerda. O senhor entendeu ou precisa desenhar?”

A carta foi uma reação à afirmação de Araújo de que o nazismo foi um fenômeno de esquerda. Em entrevista a um canal simpático à extrema direita no youtube, questionado sobre a diferença entre o nacionalismo que defende e o pregado pelos regimes autoritários passados da Alemanha, Itália e Rússia, o ministro respondeu que o sentimento nacional teria sido distorcido por grupos que o utilizaram para chegar ao poder.

“Uma coisa que eu falo muito é dessa tendência da esquerda de pegar uma coisa boa, sequestrar, perverter e transformar numa coisa ruim. É mais ou menos o que aconteceu sempre com esses regimes totalitários. Isso tem a ver com o que eu digo que fascismo e nazismo são fenômenos de esquerda”, destacou Araújo, na entrevista divulgada em 17 de março pelo “Brasil Paralelo”.

 

Redação
Redação
Direto da Redação da Revista Fórum.