sexta-feira, 25 set 2020
Publicidade

Márcia Tiburi nega ter impedido aliança progressista no Rio

Foto: Kamilla Ferreira/Agência PT

A candidata ao governo do estado do Rio de Janeiro, Márcia Tiburi (PT) usou sua conta no Twitter para afirmar que PT e PSOL tentaram negociar um acordo antes de o processo eleitoral ter início, o que caracterizaria a formação de uma aliança progressista. No entanto, segundo ela, a iniciativa não deu certo porque o PSOL não teria aceitado, e não o contrário, conforme foi noticiado durante a semana.

“Desde o começo propus a unidade das esquerdas. Alguns partidos nunca quiseram. PSOL, por exemplo. Ontem surgiu a conversa de que eu devia retirar minha candidatura. Já tinham armado com a mídia. E, comigo, ninguém tinha falado. Falta de ética dos moralistas. Machismo?”, postou Márcia.

Ela continuou: “Quarta de manhã Tarcisio Mota, que continua insistindo no voto útil em seu nome, não defendeu o voto útil em Haddad que é o único que pode combater o Coiso. E não defendeu a eleição de Lindbergh. Voto útil “só o meu”? Desculpe, nunca defenderei isso”.

“’Unidade das esquerdas’ não pode ter dois pesos e duas medidas”, acrescentou.

Para finalizar, Márcia disse: “O colunista do Globo @laurojardim e o escritor @gduvivier andam mal informados. Antes de lançar candidatura própria, o PT e outros partidos ofereceram apoio ao Tarcisio do PSOL, o que foi recusado. Não faltam testemunhas. A culpa da desunião das esquerdas não é do PT”, completou.

Redação
Redação
Direto da Redação da Revista Fórum.