Michelle quer ser senadora quando acabar mandato de Bolsonaro, diz colunista

A primeira-dama foi uma das responsáveis pela indicação de André Mendonça ao STF e pode vir a responder inquérito por lobby na Caixa

De acordo com a legislação, a primeira-dama Michelle Bolsonaro não pode se candidatar a nenhum cargo enquanto seu marido Jair Bolsonaro (Sem Partido) for presidente. No entanto, ela – que pode vir a ser alvo de abertura de inquérito por lobby na Caixa Econômica Federal (veja abaixo) – tem confidenciado a pessoas próximas que pretende se aventurar na política quando o casal deixar o Palácio da Alvorada.

Interlocutores de Michelle revelaram à coluna de Bela Megale, no Globo, que ela quer um cargo no Senado.

A prioridade, no entanto, é a reeleição de Bolsonaro, mas Michelle não esconde suas pretensões. Enquanto isso, ela continua com seu trabalho na igreja evangélica e suas ações sociais.

A primeira-dama teria sido decisiva, entre outros assuntos, na indicação do “terrivelmente evangélico” André Mendonça para a vaga do Supremo Tribunal Federal (STF). Ela também indicou secretarias que integram o Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos.

Abertura de inquérito

O deputado federal Alexandre Padilha (PT-SP) encaminhou no início de outubro ao diretor-geral da Polícia Federal (PF), Paulo Gustavo Maiuino, ofício no qual solicita a abertura de inquérito policial para que sejam esclarecidas as “denúncias graves a respeito da atuação do presidente da Caixa Econômica Federal Pedro Guimarães e de Michele Bolsonaro”.

Reportagem da revista Crusoé, revela que a esposa de Jair Bolsonaro teria montado um esquema para fazer lobby em Brasília para aliados do governo.

Segundo os jornalistas, que dizem ter obtido documentos do próprio banco, a primeira-dama teria determinado ao presidente da Caixa Econômica Federal (CEF) que concedesse empréstimos “a juros baixos” a um seleto grupo de empresários aliados do governo durante a pandemia. Alguns deles prestam serviços em cerimoniais e atos no Planalto.

Avatar de Julinho Bittencourt

Julinho Bittencourt

Jornalista, editor de Cultura da Fórum, cantor, compositor e violeiro com vários discos gravados, torcedor do Peixe, autor de peças e trilhas de teatro, ateu e devoto de São Gonçalo - o santo violeiro.

Você pode estar junto nesta luta

Fórum é um dos meios de comunicação mais importantes da história da mídia alternativa brasileira e latino-americana. Fazemos jornalismo há 20 anos com compromisso social. Nascemos no Fórum Social Mundial de 2001. Somos parte da resistência contra o neoliberalismo. Você pode fazer parte desta história apoiando nosso jornalismo.

APOIAR