Seja #sóciofórum. Clique aqui e saiba como
12 de março de 2019, 16h18

Monica Benicio: “Mais importante que a prisão de ‘ratos mercenários’ é descobrir o mandante”

A hashtag #QuemMandouMatarMarielle está em primeiro lugar entre os assuntos mais comentados no Twitter desde a prisão dos policiais acusados de terem cometido o assassinato

Foto: Reprodução/Facebook Monica Benicio

Para Monica Benicio, arquiteta, militante feminista e LGBT e viúva de Marielle Franco, não basta a prisão dos acusados do assassinato da vereadora do PSOL do Rio de Janeiro e de seu motorista, Anderson Gomes, o fundamental é descobrir quem foi o mandante do crime. A hashtag #QuemMandouMatarMarielle está em primeiro lugar nos assuntos mais comentados no Twitter desde a manhã desta terça-feira (12), após a prisão do sargento da Polícia Militar, Ronnie Lessa, acusado de executar os tiros, e do ex-policial militar Élcio Vieira de Queiroz, apontado como condutor do veículo de onde vieram os disparos.

“Mais importante que a prisão de ‘ratos mercenários’ é chegar à condenação final de todos os envolvidos. O Estado deve a todas e todos que sofrem com a perda de Marielle e à própria democracia”, disse Monica à Fórum. “É um passo importante nas investigações, sem dúvida. Mas um ano é tempo demais para um assassinato como esse. Essa é uma etapa fundamental. Espero poder ter em breve acesso aos detalhes para que sinta segurança nesse resultado”, ressaltou.

Segundo Monica, solucionar o crime, desvendando por que Marielle foi morta, é urgente, mas pode transformar a barbárie numa esperança. “É uma urgência que a gente tem hoje no nosso contexto social, que é a urgência de transformação, que precisa falar de políticas públicas pautadas para as mulheres, sobretudo para as mulheres pretas, que estão ocupando os espaços de poder. Isso é algo que vem também da noite de 14 de março, onde a gente finalmente consegue ressignificar, não só numa noite de barbárie, de violência, que foi, mas transformando numa noite de esperança. A Marielle é um símbolo que a gente pode usar como um farol de construção social”, destacou.

Nossa sucursal em Brasília já está em ação. A Fórum é o primeiro veículo a contratar jornalistas a partir de financiamento coletivo. E para continuar o trabalho precisamos do seu apoio. Saiba mais.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum